domingo, 6 de novembro de 2016

"Como se estivesse escrito nas estrelas": Futebol Clube do Porto 1x1 SL Benfica (crónica)

Ficha de jogo completa em fcporto.pt

Durante 92 minutos construí uma publicação na minha mente que seria tudo aquilo que EU tinha para dizer sobre esta partida, e que resultaria no maior orgasmo blogueiro da história deste espaço. 


Se calhar o relembrar de um desenho para explicar tudo o que vem a seguir...

O Futebol Clube do Porto fez uns excelentes 60 minutos de futebol de ataque, cheio de intenção e suportado por muito compromisso, cooperação, comunicação, união, determinação e atitude. A consequência apenas apareceu quando o mais vermelho dos azuis enfiou a bola pelo buraco da agulha. Depois Nuno Espírito Santo perdeu toda a visão e apostou na atitude de quem é pequeno, recuando para segurar o resultado. E o Futebol Clube do Porto assim o fez. Seguro, unido e sacrificado. O que aconteceu na compensação é apenas o espelho do jogador, do treinador e do adversário. Do jogador que é mal-amado com razão, do treinador que teve mentalidade de equipa pequena e não procurar o golo da segurança, e do adversário que depende do colo e da imensa sorte para conseguir resultados. Tudo isto se encontrou, e o empate aconteceu... Como se estivesse escrito nas estrelas. Sem assobios, sem apupos. Fomos com tudo, e não ganhámos.



Os números desta partida, segundo o Goalpoint.pt

Confesso que ainda não consegui ver se fomos ou não roubados, mas também não desejo escrever muito mais, preferindo citar de pessoas com mais poder, influência e responsabilidade, para reflexão sobre quem nos dirige e lidera.

"Em relação ao Futebol, há muito tempo que não via um grupo tão identificado com os valores do Futebol Clube do Porto. E esse é um trabalho que é feito dia-a-dia, e que tivemos que encarar de frente, porque de facto reconheci que estava-se a perder um bocadinho dessa honra de ser do Porto, de ser um jogador à Porto".

"É verdade que bateu no fundo. Mas não quer dizer que bateu lá no inferno. O meu fundo é que é muito alto. Se não estiver no topo, para mim já e fundo. (...) O nosso objectivo é estar no topo, e não estar no topo é bater no fundo."

"O que vos posso garantir já no domingo é que o Futebol Clube do Porto vai entrar (em campo) só com um pensamento: ganhar. Só com um objectivo: ganhar. E só admitimos ganhar"

"Se não existirem profissionais do assobio, nós vamos ganhar ao Benfica."

(sobre Herrera) "80% de 30.000.000,00€ são 24.000.000,00€. Foi uma opção. Foi uma estratégia não vender os jogadores. E não estou arrependido."

"Só pago comissões quando me levam jogadores que eu tenho interesse em vender." 

"Rigor, Competência, Ambição e Paixão. São estes os quatro pilares. Se um destes falhar, tudo pode ruir. Todo o trabalho de décadas que se tem construído pode cair."  


Será que ainda há quem acredite que estamos, neste momento, a ser bem dirigidos, bem orientados, bem liderados??

11 dias sem Futebol Clube do Porto, aos quais se acrescem mais 15 dias e três partida fora do Estádio do Dragão. Pode ser que nos faça bem. A mim certamente que fará para digerir tudo. De toda a maneira, exijo que alguém dê a cara! O Presidente do Futebol Clube do Porto preferiu continuar em silêncio.


Desiludido. Descrente. Portista.


Como viu esta partida? Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

 Calma jovem, onde é que vais??? Ganhaste alguma coisa???

sábado, 5 de novembro de 2016

"Momento decisivo": Futebol Clube do Porto vs SL Benfica (antevisão)

Jogo marcado para Domingo, 06 de Novembro de 2016, com início às 18h00. Transmissão SportTV

Bem, meus caros... Cá estámos, não é? A decisão não foge de domingo. Pode parecer prematuro, mas o momento decisivo chega já domingo. Ou seguimos na batalha, ou perdemos a guerra. Há seis anos, quando foi uma mão cheia, também sabíamos que, à 10ª jornada, já não nos ia fugir. E, uma volta depois, não fugiu mesmo e fomos Campeões. Hoje estamos do lado oposto. Nuno Espírito Santo tem todo o plantel à disposição e segue para o Clássico na máxima força, sabendo da sua importância e pensando apenas nos três pontos.

A aposta para domingo.

Confesso que li alguns palpites sobre a possibilidade de incluir Layún e Maxi no onze. Concordo com os argumentos apresentados, mas terei de alertar para a importância que o Treinador do Futebol Clube do Porto dá às suas próprias ideias e ao seu nível de casmurrice. Por outro lado, Nuno Espírito Santo ainda não testou essa solução em competição. Mesmo olhando para o jogo frente ao Club Brugge, não foi essa a disposição. Por isso, confio que Nuno Espírito irá confiar nas suas ideias, nos seus princípios, na sua estratégia. E apresentará o seu onze. E tomará todas as consequências por isso. Boas, esperemos.

O Futebol Clube do Porto recebe o Benfica, líder isolado com cinco pontos a mais, mas com baixas importantes. Há que aproveitar! O Estádio do Dragão vai estar cheio. É uma confirmação feita pelo Futebol Clube do Porto a mais de 24 horas antes do encontro. Também foi dada uma indicação de que haverá controlo reforçado dos lugares anuais. Um passo importante numa longa caminhada pelo cumprimento das regras. Se pelo menos não avistar um cachecol vermelho na minha bancada, já ficarei satisfeito, algo que não tem ocorrido pelo menos desde 2012. Do outro lado, literalmente, espero 2.500 visitantes demasiado ruidosos. Sim, porque, de onde estão, têm vantagem. Até em casa temos de remar contra a maré... 


O Presidente do Futebol Clube do Porto lançou um importante repto na Assembleia-geral:

"Se não existirem profissionais do assobio, nós vamos ganhar ao Benfica."


Concordo. O agrado ou desagrado fica para o fim do jogo. No domingo, mais do que nunca, é exigido apoio total. Apelo a que todos dêmos o nosso melhor, na esperança de que os nossos representantes também o façam. Quereis respeito? Quereis a glória? Quereis o título? Então teremos de ir com tudo.


Crente. Portista


Por quanto espera ganhar? Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

O Economato: Relatório e Contas, época 15/16 (parte II: o preço da aprovação)

Consulte as contas AQUI e o resultado da votação AQUI.

Obviamente que o timing desta publicação é oportuna e peca pela falta de inocência. Em abono da verdade, esta é a oportunidade perfeita para tal. Não pelo sentido da informação, mas pelo castigo que esta traz. A Assembleia-Geral de ontem, dia 3 de Novembro de 2016, tratou com especial foco o Relatório & Contas do Futebol Clube do Porto. Tanto as contas individuais, como as consolidadas foram aprovadas por larga maioria. Disso também não tinha dúvidas. Os sócios do Futebol Clube do Porto apareceram em número suficiente para compor e praticamente lotar o Auditório habitualmente designado para o evento, e o novo Presidente da Mesa da Assembleia Geral ditou que se votassem ambos os documentos em simultâneo. Por isso, o resultado igual. 

Em abono da verdade, pouco ou nada poderia ser feito. As contas já estavam "feitas", não se iriam "desfazer" agora. Acima de tudo, o voto legitimava a estratégia que as criou. Já foi possível analisar, durante a parte I, os traços gerais do documento, com foco na SAD. Tempo agora para deixar escrito o esmiuçar de certos pormenores que cerca de 68% dos sócios presentes no Auditório do piso -3 aprovaram e se demonstraram-se coniventes e solidários.

Do ponto de vista consolidado, o Futebol Clube do Porto apresenta um prejuízo de 50.433.068,00€. Mas como se chega a isto tudo? Existem pequenos pormenores que acabam por ser "pormaiores" nestas contas. Foi muito badalado o tema das remunerações. Já em Outubro de 2014, em Assembleia-geral extraordinária para aprovar a Operação EuroAntas, Fernando Gomes indicou que o caminho era a redução de custos. Ora, desde a necessidade óbvia de um aumento de capital, o Futebol Clube do Porto tem (ou teve) Iker Casillas, Maxi Pereira, Julen Lopetegui, Tello, Osvaldo e Corona, entre outros. Tudo intervenientes que engordaram de forma abrupta a rubrica dos custos com pessoal. Dois anos após fazer exactamente o inverso, invoca-se novamente a intenção de recuar?? Vão enganar outro... 

Mais do que o presente, existe um preço a pagar no futuro. Existe obviamente a venda de jogadores, que já é natural na estratégia da SAD do Futebol Clube do Porto. Fernando Gomes deixou cair, sem querer, que em Janeiro é possível que isso já aconteça, numa antecipação do inevitável. Mas a hipoteca do futuro e o preço a pagar não se esgota por aí. O preço a pagar são as comissões de mais de 15.000.000,00€ a um quarteirão de entidades, valores recorde a nível nacional e que castigam o resultado líquido final. O preço a pagar é a antecipação de 10.000.000,00€ da PT Altice, de 13.370.000,00€ do Stoke pela transferência de Imbula, de 7.450.000,00€ do patrocínio da MEO, tudo empréstimos novos que, aliados à operação de factoring de 4.200.000,00€ devido patrocínio com a UNICER (que, em Abril, o Presidente do Futebol Clube do Porto proferiu um enorme auto-elogio sobre isso) hipotecam receitas que financiariam a operação futura. Essencialmente gastar hoje o dinheiro de amanhã. É este o preço a pagar.

Quanto ao orçamento, e isto falando apenas da SAD, escuso de proferir qualquer comentário, dado que é bem possível que todas as previsões saiam furadas. Afinal, já aconteceu anteriormente. Não necessariamente porque o Futebol Clube do Porto ficou aquém das metas, mas porque mudou a política a meio da execução, razão pela qual sigo céptico em relação à proposta da Administração. 

Não queria deixar de comentar, ainda que de forma breve, as contas apresentadas e aprovadas pelo Clube. Falo apenas do Clube, com o Futebol à parte. Focando apenas no Clube, o Futebol Clube do Porto está bem e recomenda-se. Apanhou com o rombo da SAD, é verdade. Mas, descontando isso, o Clube em si apresenta bons resultados, gestão cuidada e equilibrada e uma aposta positiva nas modalidades e em várias frentes. Sempre confessei que não sigo as restantes modalidades da mesma forma que sigo o Futebol. No entanto, é fundamental exaltar esse bom resultado financeiro, que assim possibilita, em 2016/17, uma aposta inequívoca na competitividade dos representantes do Futebol Clube do Porto no Andebol, no Basquetebol, no Bilhar, no Boxe, no Ciclismo, no Hóquei, na Natação e no Desporto Adaptado. Gostaria de ter aprovado esse Relatório & Contas. Devido ao decorrer dos trabalhos que a Assembleia-Geral, não me foi possível fazê-lo.

Nota para o decorrer global dos trabalhos da Assembleia-Geral. Evidentemente que a grande maioria dos detalhes terão de ficar com quem fez o esforço de estar presente. Os trabalhos decorreram de forma relativamente calma e ordeira, fora um ou outro episódio menos equilibrado, de menor importância e que acontecem neste tipo de eventos. Houve opiniões para todos os gostos e feitios, e é assim que deve ser. É para isso que serve o espaço, e os sócios muito bem o utilizam. Considero, no entanto, fundamental passar uma mensagem inequívoca: Fernando Gomes está de pedra e cal no Futebol Clube do Porto e totalmente de acordo com os resultados apresentados. Admite o desastre, mas assume-o com a restante direcção e administração, na busca por um resultado melhor esta temporada. No entanto, tal como anteriormente tinha revelado, rejeitou 95.000.000,00€ por Danilo, Herrera e André Silva, mas foi o Presidente do Futebol Clube do Porto que teve de explicar, ainda que de forma principesca e atabalhoada como se chegava a esses valores. Além disso, do Presidente do Futebol Clube do Porto existem duas citações fundamentais que são necessárias publicitar. Aos sócios presentes, as minhas sinceras desculpas. Mas tem de acontecer. Não é possível dizer dentro de portas uma coisa e fazer-se fora de portas outra, deixando só para alguns a verdade.



"Em relação ao Futebol, há muito tempo que não via um grupo tão identificado com os valores do Futebol Clube do Porto. E esse é um trabalho que é feito dia-a-dia, e que tivemos que encarar de frente, porque de facto reconheci que estava-se a perder um bocadinho dessa honra de ser do Porto, de ser um jogador à Porto".

"O que vos posso garantir já no domingo é que o Futebol Clube do Porto vai entrar (em campo) só com um pensamento: ganhar. Só com um objectivo: ganhar. E só admitimos ganhar". 


Esteve na Assembleia-geral? Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

A justificação para a questão dos equipamentos, muito bem levantada na AG.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

"3 pontos, 1,5M€ e o credo na boca": Futebol Clube do Porto 1x0 Club Brugge KV (crónica)

Ficha de jogo completa em fcporto.pt

Nossa senhora... Escapámos de boa, mas seguimos em frente com um objectivo ainda por lutar. O Futebol Clube do Porto conquistou uma vitória magra, mas valiosíssima para garantir um lugar na próxima fase das competições europeias e seguir na luta por um lugar nos oitavos de final da Liga dos Campeões. Suada, dura e arrancada a ferros, mas ganhámos!! Vamos ao filme...

Nuno Espírito Santo acreditou que poderia fazer melhor do quem em Setúbal com praticamente os mesmos. Por isso, apenas deu a oportunidade a Maxi Pereira de render Layún e ser o dono de TODO o corredor direito. Gostaria também de destacar alguma jogada de perigo do Futebol Clube do Porto, mas tivemos de esperar até ao momento em que Wesley fez Casillas brilhar, perto do minuto 25, para que o Futebol Clube do Porto desenhasse uma jogada de perigo. Até àquele momento, apenas ameaças de ameaças, e nenhum remate enquadrado. Óliver ainda interceptou com o braço de forma clara no canto subsequente, mas o momento de viragem aconteceu. Na ressaca de um canto, Felipe ficou perto de inaugurar o marcador, mas acertou no guarda-redes Butelle. Depois foi Alex Telles, a partir da bola parada, a acertar no poste. Faltou sorte nesse momento... A sorte que não fugiu a André Silva. Na sequência de um canto, o avançado Português respondeu de cabeça no primeiro poste. A bola bateu ainda num adversário, que assim enganou Butelle e o marcador mexeu. Pouco mais ocorreu até ao intervalo.

Números da primeira parte. Mais Futebol Clube do Porto. Fixe bem esta realidade, mas comparação mais abaixo.

Primeira parte de controlo do Futebol Clube do Porto, mas com poucas ideias e perigo reduzido e equilibrado para as duas balizas. A vantagem do Futebol Clube do Porto justificava-se pela maior iniciativa e pelo quarto de hora final bem mais perigoso.


Um desvio de sorte, milionário e muito bem-vindo.


Para a segunda parte, voltaram os mesmos onze, mas com três em aquecimento, já a adivinhar o que estaria para vir. Isto porque o Futebol Clube do Porto voltou a não entrar da melhor forma. O ascendente parecia estar do lado do Club Brugge. Nuno Espírito Santo pedia calma aos seus jogadores, mas o minuto 61 trouxe um momento de stress no Estádio do Dragão, com André Silva a cair na área. Talvez como no primeiro tempo, o árbitro deixou passar. Héctor Herrera saiu para a entrada de Rúben Neves. Além da instrução a Diogo Jota para abrir bem à direita, com o médio Português em campo, o radar de passe aumentou. Rúben lançou Maxi em velocidade, que na linha de fundo, escolheu cruzar atrasado, mas sem o melhor seguimento a partir daí. Corona foi o seguinte a ser chamado, para entrar ao minuto 71 para o lugar de Diogo Jota. Com sangue novo em campo, o Futebol Clube do Porto reapareceu na partida. Alex Telles de um lado e Corona do outro procuraram "cruzar rematando". Infelizmente, o perigo iminente não passou disso. Houve possibilidade para matar o jogo. Como não aconteceu, o Club Brugge, campeão da Bélgica e actual 5º classficado da sua Liga doméstica, e último, sem qualquer ponto no grupo da Liga dos Campeões, viu a oportunidade e cresceu novamente, encostando o Futebol Clube do Porto às cordas. E nós aguentámos como soubemos, cortando lado, aliviando acolá... Saímos do Estádio do Dragão com o credo na boca, mas ganhámos!


(+)

Casillas: Um par de defesas novamente decisivas por parte do espanhol, que acompanha uma defesa muito sólida e pouco dada a brincadeiras ou a distracções.

Felipe, Marcano  e Danilo: Outra fantástica prestação da tripla defensiva. Seguros, concentrados e sérios. Além disso, ainda ajudam em momentos ofensivos. É um trabalho muitas vezes pouco denotado, mas que merece um enorme elogio. E bem precisamos que continuem assim.

(-) 


Herrera: ... já não há palavras.....

Óliver: Boas trocas com Otávio em determinados momentos, mas, quando as coisas não saem bem, há que simplificar e entregar a outros mais inspirados. Um pouco mais de apoio poderia ajudar a resolver algumas precipitações. 


Uma ponta de sorte muito bem-vinda.

Nuno Espírito Santo decidiu guardar os seus dotes de desenho para outro momento, mas as suas escolhas merecem novo comentário. Voltou a errar na estratégia de abordagem à partida, que produziu uma exibição sólida atrás, inconsistente a meio, e pobre na frente, mas soube corrigir com as alterações. Perante o impasse no marcador, apostou na contenção. Embora seja vergonhoso ter de defender um resultado magro, em casa, frente ao Club Brugge, conseguiu o objectivo e segurou os três pontos. Ou seja, o mais importante! O sector defensivo mostra-se novamente muito sólida. Certamente que o Treinador do Futebol Clube do Porto terá quota-parte de responsabilidade neste sucesso defensivo. 



Os números da partida não escondem o fraco jogo, mas os sete pontos de vantagem para este adversário deixam-me muito satisfeito. Com este resultado, é possível ter esperança e lutar. Nota para o ambiente do Estádio do Dragão. Fiz um apelo claro a um Dragão benevolente, capaz de perdoar o passe errado, o remate sem nexo, a perda de bola amadora. Porque é isto meus caros. É com isto que vamos lutar. Esqueçam a construção, o crescimento ou a evolução da equipa. Aonde formos, vamos com isto. Cabe a quem está na bancada de injectar os escolhidos, normalmente repetidos, com um "extra" de motivação que neste momento não existe. Esta partida foi um excelente teste para tudo isso. E creio que falhámos. Assobiámos, insultámos, apupámos. E sempre que abriam a boca, os belgas abafavam tudo. Domingo seremos mais. Mas vem aí o líder. Que, sem jogar melhor que nós, vai continuar líder isolado seja de que maneira for... Uma coisa é certa: os escolhidos vão entrar com o peso do mundo em cima dos ombros.. 

Duas notas muito importantes. Primeira para a Assembleia-geral de hoje, crucial para os destinos do Nosso Grande Clube, e que exigem a presença de todos, a fim de se encher novamente o Auditório do Piso -3. Depois para a renovação de Otávio. Nos tempos que correm, é importante questionar todos os pequenos pormenores deste negócio (prémio do empresário, quem intermediou, alienamos alguma parte do passe, dia oportuno para publicitar essa renovação). Mas o resultado final aponta para um futuro seguro para o Futebol Clube do Porto e para Otávio: 60.000.000,00€ de cláusula de rescisão e contrato até 2021. O resto é melhor nem dizer nada, para não estragar... 


Crente. Portista.


O que achou desta partida? Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.


terça-feira, 1 de novembro de 2016

"Um Dragão benevolente, uma direcção viva": Futebol Clube do Porto vs Club Brugge KV (antevisão)

Jogo marcado para quarta-feira, 02 de Novembro, com início às 19h45. Transmissão SportTV.

Mais um momento do "quem sabe alguma coisa, ou nada. O Futebol Clube do Porto recebe o Clube Brugge no Estádio do Dragão duas semanas depois de uma vitória tangencial na Bélgica e na ressaca do nulo em Setúbal. Nuno Espírito Santo tem novamente todo o plantel à disposição para o primeio de dois jogos em casa numa semana, que se avizinham decisivos.

Aposto no seguinte onze:



De Nuno Espírito Santo e dos seus esquemas já se fala demais. Aliás, com ele, é mais paleio do que outra coisa. E duvido que aprenda com a partida fora de casa. Por isso vai ser tudo igual. Há que dar destaque a algo mais importante para o confronto com os belgas. Creio que todos nós, e quando digo nós falo de todos os que irão ao Estádio do Dragão, teremos um papel decisivo no resultado desta partida. Desta, e da próxima. Mas falemos só desta. Teremos um onze escolhido sem grandes surpresas, com a mesma estratégia, mesma forma de pensar, mesma maneira de abordar a partida, mas que entrará como se a relva fosse brasa. A pressão será máxima, pois sabe que não pode pecar e sabe da exigência que vem da bancada. Por isso fica o apelo ao Estádio do Dragão. Desta vez, uma maior benevolência. Para quando o Herrera falhar um passe, para quando o Alex Telles falhar um cruzamento, para quando o Marcano falhar um chuto longo, para quando o Brahimi falhar uma finta. Eles estarão ainda mais nervosos do que nós, com toda a certeza. Vamos fazer o nosso papel, na esperança que eles façam o dele. Porque somos bem melhores do que os belgas. Mas há que o provar lá dentro. Com tudo.

Capa do Jornal de Notícias, dia 1 de Novembro de 2016

Nota extremamente importante para a entrevista do director-geral Luís Gonçalves ao Jornal de Notícias. Mais vale tarde que nunca? Nada disso, só espero é que não seja tarde demais. O Presidente do Futebol Clube do Porto passou pela primeira vez (pelo menos que me lembro) a batuta da comunicação a um outro elemento-chave da estrutura do Futebol Clube do Porto. E foi acutilante nas palavras que utilizou. 


“O F. C. Porto, em nove jogos, foi prejudicado em oito penáltis. São penáltis a mais para uma equipa só. Parece que os árbitros, quando vão apitar os nossos jogos, já estão condicionados a não marcar penáltis a nosso favor. Começa a ser um problema complicado. Os jogadores sentem que as decisões não têm sido corretas e os nossos associados também. Não estamos a ser tratados como deve ser e é hora de dizer chega!" 

"A maior parte dos árbitros são inexperientes. Eles têm de perceber que marcar penáltis a favor do F. C. Porto não os diminui. Não têm de ter medo de os assinalar. Se são penáltis e são claros, têm de os marcar. Ou só têm dúvidas quando apitam o F. C. Porto? Essa é a minha dúvida, que espero ver esclarecida sem demorar muito tempo” 

Parece que finalmente alguém decidiu dar a cara e falar. Não é tudo. Mas é qualquer coisa. Assim, pelo menos, é possível avançar. É possível crescer. É possível ganhar.


Crente. Portista.


O que espera desta partida? Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.