domingo, 7 de agosto de 2016

"#VaiNaFé": a apresentação 2016/17

Ficha de jogo completa em fcporto.pt

O Futebol Clube do Porto apresenta o seu plantel 2016/17 aos sócios e adeptos no Estádio do Dragão e para todos o Mundo, em exclusivo pelo Porto Canal.

O épico espectáculo teve altos e baixos, momentos de enorme exaltação e repouso, e um grande ambiente em redor dos jogadores num puro sentimento de Portismo, partilhado pelos 46.110 que marcaram presença no Estádio do Dragão ao longo de mais de 4 horas. A grande surpresa foi mesmo a estreia de... Draco, a nova mascote.

A surpresa da apresentação não foi um jogador, mas sim a nova mascote: Draco. Fonte

Bruno Martins Indi não foi apresentado e cedeu o número 3 a Sérgio Oliveira, que está nos Jogos Olímpicos. Já o número 9 ficou vago, já que Aboubakar levou nas costas o 26. André Silva veste o 10 para esta temporada. João Costa será o 24. O plantel apresentou-se aos sócios e deu uma volta ao relvado, agradecendo o apoio dos adeptos. Havia que esperar que entrassem novamente em campo, desta vez para medir forças com o Villareal. Chidozie e João Costa foram apresentados, mas não se sentaram no banco de suplentes.


Nuno Espírito Santo apenas trocou José Sá por Casillas em relação à partida frente ao Vitória, em Guimarães. Muito calor no Estádio do Dragão. Algo atípico, mesmo para as 21h30, hora a que começou o jogo. Primeiros 12 minutos muito amenos, até que Otávio, com a raça que vem demonstrando, não desiste de uma bola perto da grande área. Mesmo em cima da linha, ganha a dianteira ao adversário e cruza atrasado para André Silva. O avançado Português não sente dúvidas e remata sem hipóteses para o único da partida. Bom início para o Futebol Clube do Porto. Da bancada, era claro o 4-4-2 desenhado no campo. Danilo Pereira e Herrera de perfil, à frente de Marcano e Felipe. Laterais com cautela na subida de terreno. Tanto Otávio como Corona bem abertos, com o brasileiro a procurar muito zonas interiores. André André sempre mais perto de André Silva, e muitas vezes em linha. Desenho táctico pouco mesclado, muito partido. De toda a forma, foi o Villareal que procurou e teve a iniciativa. Mas, ao longo da primeira parte, a defesa do Futebol Clube do Porto manteve-se segura e unida. Casillas despachava o que a dupla de centrais não conseguia.

Ao intervalo, a reacção parecia natural. O Futebol Clube do Porto jogava pouco. Mostrava um movimento defensivo de elogiar. Mas, na frente, demonstrava muitas dificuldades em criar perigo perto da baliza adversária. Equipa algo partida e a pressionar apenas no seu meio-campo. Nuno viu tudo e esteve de pé durante grande parte do primeiro tempo.

Durante o intervalo, o momento da noite... Difícil de descrever. Se perdeu o momento, veja o vídeo. Arrepiante.


Para a segunda parte, Nuno Espírito Santo, troca de lado, troca de equipamento, mas o onze e o plano mantém-se. Mesmo perante o calor, Nuno Espírito Santo decide não fazer alterações. E o jogo é semelhante. Mais Villareal, com o Futebol Clube do Porto muito seguro cá atrás e a procurar sair rápido quando pode. E teve oportunidade para fazer o 2-0. O trio de ataque do Futebol Clube do Porto saiu em transição rápida, com Otávio a dar para Corona. O mexicano espera até ao último momento e serve André Silva que, de primeira, remata por cima. Que perdida! Foi uma verdadeira simulação de jogo por parte de Nuno Espírito Santo, que esperou até ao minuto 72 para mexer. Nuno reforço a 4-4-2 com Adrián em vez de André André e Layún a médio-ala, em vez de Otávio. Rúben Neves e Diego Reyes refrescam os respectivos sectores. E os recém-entrados tentaram alargar o marcador. Layún cruza para a desmarcação de Adrián, que chega atrasado. Ainda houve tempo para fazer entrar Evandro, Varela (a extremo), Bueno e João Teixeira, antes do fim da partida, que terminou com o golo solitário de André Silva.



(+) 

A dupla Marcano e Felipe (e Diego Reyes): Concentração, consistência, segurança. Belo trabalho defensivo dos elementos mais recuados, sempre prontos a suster os ímpetos ofensivos adversários. 

Otávio: se a defesa brilhou como equipa, ele brilhou individualmente. Grande jogo do brasileiro. Começou no flanco esquerdo mas, com bola, procurava outras zonas do terreno e criava o pânico adversário. É ele o responsável pelo golo. A sua raça

André Silva: Nota para o "pé quente" do Português. 8 jogos, 8 golos. Não podia estar mais motivado para o início de temporada.

(-)

Brahimi e Aboubakar: foram apresentados, mas não saíram do banco. Sintomático do que pode acontecer.

Eu: continua complicado compreender algumas decisões no Futebol Clube do Porto. Por exemplo, a falta de mais um lateral, tendo em conta que o Layún é lançado para médio e é Varela a solução alternativa. Depois, o desenho preferido foi o 4-4-2. Talvez a preparação o duplo confronto com a Roma. Mas o jogo de ontem foi favorecido por um golo ainda no primeiro quarto de hora arrancado com enorme garra, perseverança e astúcia. Dia 17 poderá não ser assim. Finalmente, a posição de Herrera. Paulo Fonseca, Lopetegui, Peseiro... Todos estes virão em Herrera um possível organizador. Sou eu o único a acreditar que, se fosse o médio mais adiantado, beneficiaríamos mais? 


Viu-se um Futebol Clube do Porto algo preso, na minha perspectiva. Não pela mediocridade dos executantes, mas sim pelo fraco pensamento do jogo implementado, na fase ofensiva. Nuno viu tudo e foi tentando corrigir a partir do banco. Mas também há que elogiar o adversário e sua qualidade, criando um verdadeiro teste à capacidade do Futebol Clube do Porto. Creio que, para último teste, existem boas indicações a retirar. Também, em abono da verdade, o histórico recente de jogos de apresentação tem sido até pior do que o de ontem, e isso nunca impediu o Futebol Clube do Porto de começar bem as suas temporadas. E bem precisamos de o fazer novamente...

Rubrico esta crónica congratulando toda a organização do evento. Tudo feito com tempo de sobra, num evento bastante longo e com um ambiente tórrido que não abrandou à hora do jogo. Saúdo também a magnífica emissão do Porto Canal. Foi prova de que é possível, em casa, assumir a responsabilidade da transmissão deste evento. Aguardo com imensa curiosidades as audiências.


Acredito em Nuno. #VaiNaFé


Crente. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário