quarta-feira, 27 de julho de 2016

Especial 78ª Volta a Portugal

Fonte

Incia-se hoje a 78ª edição da Volta a Portugal. Como equipa de referência do pelotão nacional, a W52-FC Porto-Porto Canal irá participar na "Grandíssima" como a grande favorita a vencer a competição. Esta edição marca assim o regresso à competição do clube com mais títulos na sua história: 12. Neste momento, a W52-FC Porto-Porto Canal lidera a Taça de Portugal, Rafael Reis é líder do Ranking APCP e os quatro primeiros ciclistas do Ranking Elite são da W52-FC Porto-Porto Canal, com Daniel Freitas na liderança.

W52-FC Porto-Porto Canal defenderá o título conquistado em 2015 através de Gustavo César Veloso e o título por equipas frente a outras 17 equipas do pelotão Continental e Pro-Continental, 5 do pelotão nacional, que correram as estradas Portuguesas de Oliveira de Azeméis até Lisboa, passando por Viana do Castelo, Bragança, Guarda, Castelo Branco ou Setúbal.

Os ciclistas terão 1618 kms e 11 dias para decidir quem será o mais forte desta Volta. A 78ª Volta a Portugal começa com um prólogo de 3,6 kms pelas ruas de Oliveira de Azeméis. Uma primeira selecção poderá ser promovida logo na primeira etapa em linha que liga Ovar a Braga. A dupla passagem pela contagem de montanha de 2ª categoria levará a que os sprinters fiquem fora da discussão e ciclistas atacantes como Rafael Reis poderão aparecer como favoritos à etapa. Tanto na chegada a Fafe como a Macedo de Cavaleiros, os ciclistas irão encontrar dificuldades e uma curta subida para enfrentar antes da meta, na preparação para a chega à Senhora da Graça. 191,9 Km de terreno acidentado com chegada em alto a Mondim de Basto depois de 11 kms de subida. Os ciclistas da geral cedem o protagonismo aos sprinters na chegada a Viseu no primeiro de Agosto antes do primeiro dia de descanso.

A jornada "rainha" da prova Portuguesa surge no dia seguinte, durante a 6ª etapa. A partida de Belmonte leva o pelotão a uma dupla passagem pelo alto da Torre antes de se encaminharem para a Guarda. Uma curta mas dura subida aguarda os ciclistas na capital de distrito. O mote fica dado para a 7ª etapa, com uma dupla passagem pela meta em subida em Castelo Branco. O foco é cedido aos sprinters na chegada a Arruda dos Vinhos e a Setúbal. Ou pelo menos àqueles que conseguirem sobreviver ao terreno acidentado tão perto da meta. Enquanto isso, os ciclistas que lutam pela classificação terão de apelar a um último esforço individual na 10ª e última etapa. 32,5 Kms de contra-relógio entre Vila Franca de Xira e Lisboa ao longo do estuário do Rio Tejo. Terreno pouco acidentado e certamente ventoso que favorecerá um verdadeiro contra-relogista.

Uma Volta a Portugal extremamente dura e exigente, pese embora a desilusão que é não termos uma chegada em alto à Torre. Neste campo, destaco o líder da W52-FC Porto-Porto Canal Gustavo César Veloso. Vencedor da Volta a Portugal de 2014 e 2015 e segundo em 2013, alia a experiência à qualidade, e parte como o grande favorito. O dorsal 1 desta Volta a Portugal terá a seu lado Raúl Alarcón, Ricardo Mestre, António Carvalho, Rui Vinhas, Joaquim Silva, Samuel Caldeira e Rafael Reis, escolhidos pelo Director Desportivo Nuno Ribeiro.

A preparação foi feita com detalhe e o Porto Canal estará na estrada para acompanhar os ciclistas. O mesmo acontecerá com a Porto Store, que marcará presença em vários cidades de Portugal.

Desejo a melhor das sortes a todos os ciclistas da W52-FC Porto-Porto Canal. Sem quedas, furos ou motas que vos façam correr montanha acima.


Crente. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário