quarta-feira, 27 de julho de 2016

"De regresso a casa" - Bayer Leverkusen 1-1 Futebol Clube do Porto

Só para os melhores. Só para os vencedores. Parabéns Rafael Reis. Fonte

Primeiro as boas notícias. Rafael Reis é o primeiro camisola amarela da 78ª Volta a Portugal em bicicleta, ganhando o prólogo em Oliveira de Azeméis. É o coroar de uma excelente temporada do ciclista Português da W52-FC Porto-Porto Canal, e acredito plenamente que terá mais oportunidades para brilhar ao longo da competição, com chegadas ao seu estilo. 

W52-FC Porto-Porto Canal carrega, logo desde a primeira etapa, o peso da responsabilidade de liderar e controlar o pelotão da Volta a Portugal. Nuno Ribeiro já estaria preparado para tal, dada a ambição que a equipa traz e os objectivos traçados.


Ficha de jogo completa em fcporto.pt

Vamos então à partida de hoje. Empate a uma bola frente a um adversário de qualidade, e que tinha goleado nas duas últimas partidas de pré-temporada. Para o Futebol Clube do Porto fecha-se assim o estágio, com duas vitórias, um empate e uma derrota. 

O atraso do início da partida em 30 minutos ficou-se a dever ao trânsito que o Bayer Leverkusen enfrentou para chegar à Balkaw-Arena. Talvez por isso, o Futebol Clube do Porto aproveitou rapidamente para pressionar o adversário e inaugurar o marcador. Otávio recupera uma bola perto da bandeirola de canto e assiste André Silva, aos 7 minutos, para o golo do Futebol Clube do Porto. Os muitos e ruidosos adeptos Portistas presentes. Golo que ajudou, e de que maneira, os objectivos do Futebol Clube do Porto. Mais calmo, organizado e intenso do ponto de vista ofensivo. Ainda com algumas indecisões e erros individuais na parte defensiva. Algo já repetitivo, especialmente com o reforço Felipe.

Já a segunda parte foi um verdadeiro vazio. Obviamente que as muitas alterações feitas durante o segundo tempo por Nuno Espírito Santo retirou intensidade e coesão ao Futebol Clube do Porto. No entanto, assim também não é possível, de forma justa, avaliar a prestação da equipa e dos O Bayer Leverkusen aproveitou uma bola mal cortada à entrada da área para fazer o empate, através de Javier Hernández, aos 58 minutos. Pouco mais há a dizer do segundo tempo desta partida.


Por estarmos ainda com o plantel em formação, é ainda mais importante apontar defeitos, deficiências e limitações. E, por muito que se insista, é missão de qualquer Portista continuar a insistir se tudo ficar igual. Erros defensivos individuais, unidades específicas em sub-rendimento e jogadores fora de posição, quando havia alternativas para o lugar. O Futebol Clube do Porto começou com Casillas, Maxi, Felipe, Marcano, Layún, Herrera, André André, Otávio, Corona, Bueno e André Silva. Não saíram do banco João Costa, Indi, Quintero, Josué e Hernâni.

Destaco o regresso de Adrián, que jogou toda a segunda parte, na maioria dela com a companhia de Aboubakar. Há quem diga que o Villareal quer voltar a contar com ele. Desconheço, no concreto, os planos de Nuno Espírito Santo para o desenho do Futebol Clube do Porto. Um? Dois avançados? Nuno Espírito Santo testou Bueno ao lado de André Silva frente ao Vitesse e deu-se bem. Hoje começou a partida frente ao Bayer Leverkusen com o mesmo desenho e saiu para o intervalo em vantagem. Nesse sentido, poderá justificar-se alguma prudência na decisão do futuro do jogador espanhol.

Como Nuno Espírito Santo diz, e bem, faz parte do processo e há que tomar decisões. As melhores, espero eu. Agora, regresso a casa e preparação no Olival.


Julgo que os próximos 7 a 10 dias serão cruciais para o futuro do plantel do Futebol Clube do Porto. Se existirem mexidas, tem de ser neste período. Já passou de moda trazer surpresas para os jogos de apresentação. A confirmação de apenas um movimento, seja entrada ou saída, irá desencadear os restantes.


Divirtam-se! #Treino360

Crente. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário