quarta-feira, 1 de junho de 2016

“Somos Porto!”: o novo Treinador do Futebol Clube do Porto

O Porto Canal acompanhou a apresentação de Nuno Espírito Santo, bem como toda a restante comunicação social.

Já está. Finalmente! O relvado do Estádio do Dragão foi o local escolhido para o grande anúncio. Um local apropriado para um homem que contribuiu para este relvado com tanto sucesso. Foi uma possibilidade que, em primeira instância, nem sequer falei, quase de propósito, mas que, com o passar dos dias, revelou ter credenciais para assumir o protagonismo de uma análise mais cuidada.

Nuno Espírito Santo é um homem da casa. Não há que enganar. Campeão pelo Futebol Clube do Porto, contribuiu para a glória do Clube dentro e fora de Portugal com a conquista da Liga dos Campeões, da Taça UEFA e da Taça Intercontinental. Teve em grande parte da sua carreira no Futebol Clube do Porto o estatuto de suplente, participando em 61 partidas entre 2002 e 2005 e entre 2007 e 2010, ano em que terminou a sua carreira como profissional.

O início da carreira profissional como treinador no Rio Ave trouxe ao clube a estreia nas competições europeias através da Liga Europa e duas finais no mesmo ano: Taça da Liga e Taça de Portugal. No Valência, garantiu o regresso do clube à Liga dos Campeões. Saiu a meio da segunda temporada, fruto dos maus resultados e das divisões existentes no balneário, que o Valência ainda tem por resolver. Hoje assume o comando do Futebol Clube do Porto por duas temporadas, com a companhia da sua equipa técnica em Rui Pedro Silva, António Dias e Rui Barbosa. Rui Barros transita da temporada anterior. 

Se é verdade que tinha ouvido falar com maior força sobre o regresso de Nuno Espírito Santo ao Futebol Clube do Porto, apenas sábado falei sobre essa possibilidade, e apenas na segunda-feira o JN estreou-o numa capa de um jornal.


Neste jogo em particular, o JN acertou na chave premiada que muitos tentaram. 

A escolha da Administração da SAD, e nomeadamente do seu Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, parece encaixar na estratégia habitual: treinador jovem e ambicioso, mas sem palmarés ou larga experiência num clube onde se exigisse máximo sucesso a nível nacional. Tal como André Villas Boas, Vítor Pereira, Paulo Fonseca, Julen Lopetegui ou até José Mourinho. Aliás, a escolha da Administração da SAD do Futebol Clube do Porto parece ter agradado também outra "entidade" que tem ganho protagonismo em qualquer área: os "mercados".


Link para a notícia.

Confesso que não era o meu favorito. Como disse anteriormente, era Marco Silva. Não irei fazer qualquer resistência à escolha de Nuno Espírito Santo como novo Treinador do Futebol Clube do Porto ou assobiá-lo no jogo de apresentação. Será o meu Treinador! À crítica, estará sujeito como qualquer outro. 

No entanto, por muito acertada que esta escolha possa ser, é de extrema importância compreender a forma como o seu regresso acontece. Para o bem e para o mal, Nuno Espírito Santo vem com Jorge Mendes para o Futebol Clube do Porto. Aliás, a meu ver, Nuno Espírito Santo regressa ao Futebol Clube do Porto por causa do empresário que tem (Jorge Mendes) e por causa do intermediário do Futebol Clube do Porto no negócio (Alexandre Pinto da Costa). Aliás, há quem diga que a relação entre Jorge Mendes e Antero Henrique é inexistente, abrindo novamente a possibilidade para que o filho do Presidente do Futebol Clube do Porto se misture novamente nos negócios do Clube. Mas deixemos este tipo de conversa para outra altura.


#VaiNaFé. Fonte

Claro que nem um treinador "especial" faz omoletes sem ovos. Nuno Espírito Santo terá forçosamente de ter à sua disposição um conjunto de jogadores de grande qualidade, que concordem com as suas ideias e que estejam comprometidos com o projecto do Clube. É aqui onde Jorge Mendes poderá ter um papel fundamental. Tanto Nuno Espírito Santo como Jorge Mendes estarão-se gratos mutuamente pelo que cada um contribuiu para a carreira individual. Nesse sentido, espero que Jorge Mendes possa colaborar de forma positiva para o sucesso de Nuno Espírito Santo no Futebol Clube do Porto. Todos sabemos que Jorge Mendes cobra caro. Muito caro. O lucro é e será sempre o seu primeiro objectivo. No entanto, raramente trabalha com jogadores de menor qualidade, justificando assim também a sua tabela de preços exagerada. A fórmula em que o Futebol Clube do Porto sempre apostou: comprar, desenvolver, alcançar o sucesso desportivo, gerar mais-valia na venda pode contribuir para que o peso do empresário no futuro do treinador pareça tão importante como o seu próprio trabalho dentro do Clube.

Nuno Espírito Santo conhece bem o Futebol Português e orientou o Rio Ave durante duas temporadas. Deu prioridade a um bloco baixo e a transições ofensivas rápidas. Certamente que no Futebol Clube do Porto terá de ser diferente. Assumir o jogo, dominar a partida, ser protagonista. A essa atitude, junta-se a obrigação máxima de vencer. Sempre. Nuno Espírito Santo sabe disso. E encarou tudo isso hoje, na sua apresentação.

Bem-vindo, Nuno! Todos os Portistas desejam que alcances o máximo sucesso no Futebol Clube do Porto, agora como Treinador. Não vou pegar pelas tuas palavras aquando da tua apresentação. Prefiro forcar-me nestas palavras, e na tua postura enquanto jogador. 




Confesso o meu entusiasmo por ver um homem da casa regressar com a intenção de devolver o Futebol Clube do Porto ao lugar que merece. Esse entusiasmo foi rapidamente apaziguado quando peguei no Relatório e Contas do 3º trimestre, cujos números poderão influenciar os recursos que Nuno Espírito Santo terá à sua disposição. No curto-prazo, será objecto de reflexão...


Céptico. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário