quinta-feira, 30 de junho de 2016

O Economato: "tick tack... tick tack" (fair-play financeiro)



Chegam os últimos momentos do último dia... Os trabalhos de pré-temporada já começaram mas objectivamente a temporada termina hoje, a 30 de Junho. Amanhã os botões "reset" das contas de resultados da contabilidade são carregados e tudo começa do zero. Mais ou menos. Uma imprecisão, a meu ver, aceitável para a passagem da ideia.

A partir de hoje a preocupação e o cepticismo acabam-se. Obviamente não teremos informação concreta sobre esta situação durante três meses! Mas também já não é possível fazer absolutamente nada sobre isso. Estará arrumado. Teremos sim que nos preocupar com as consequências, se falharmos. Parecido com aquela conversa da sanções da UE a Portugal. Se cumprirmos, haverá que estudar porquê, dado que, até ao momento, não existe informação capaz de justificar uma recuperação de 30.000.000,00€ em três meses...

Felipe certamente não ajudará as contas, mas, até ao momento, é a única contratação que poderá afectá-las. Por isso, há que contar a partir daí.


Manuel Casaca e André Morais intitulam assim a página 14 do jornal OJOGO de hoje.


Maicon foi vendido antes do fecho do período. Resta obter a confirmação do valor da transferência. Há quem fale em 12.000.000,00€ + metade do passe de Lucão e Inácio. Irão contar para a temporada 2015/16, mas não chega. 

Herrera, Brahimi e Aboubakar estão na porta de saída. Pelo mexicano, já se fala em 25.000.000,00€ do Nápoles, um valor que Jorge Nuno Pinto da Costa negou em entrevista. O fecho do negócio poderá eventualmente acontecer mesmo nos últimos minutos do dia. Mas é provável que o cálculo da mais-valia não chegue para cobrir todo o prejuízo restante. 

E porque não surgem mais novidades, é possível que aconteça a venda de um dos diamantes desejados. Porque também só se vende o que alguém quer comprar. Neste caso, Rúben Neves. Uma daquelas facadas mesmo no ventre. Vamos esperar que assim não aconteça, sabendo o que nos pode ocorrer. 

Observemos o caso do Sporting, que não cumpriu com o fair-play financeiro e por isso só poderá inscrever 22 jogadores nas provas europeias. Analisando o caso específico do Sporting, não será uma enorme dor de cabeça. Já para nós, pode eventualmente significar uma dor de cabeça acrescida. O desenho do plantel que temos, com mais Portugueses e mais formados no clube permite-nos atenuar essa problemática. Agora foquemos-nos no caso Galatasary: dois anos de fora das competições europeias. Já nem falo do Manchester City ou do PSG... O Chelsea, por exemplo, soube controlar-se.

Recordo um pormenor fundamental: pode estar a ler esta publicação e já haver uma confirmação. Que alguém sai, ou que tudo fica. Falo à hora que escrevo. No dia seguinte, 1 de Julho, já está. Já não se pode fazer nada... Mas qualquer que seja o resultado, terá forçosamente de ser escrutinado. Pelos sócios. Mesmo que isto seja problema da SAD.





Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião. 

Um abraço.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

O Economato: Hector Herrera



Um caso daqueles de levar a mão à cabeça. Uma publicação necessária, dada a contra-informação entretanto publicada. Comecemos pelo óbvio e básico.

Héctor Herrera, 26 anos, médio internacional mexicano. Brilha com a selecção mexicana e atrai as atenções de pretendentes. Vencedor do Torneiro de Toulon e medalhado de ouro nos Jogos Olímpicos de 2012. Chegou ao Futebol Clube do Porto em 2013, a troco de 8.000.000,00€ por 80% do seu passe, vindo do Pachuca, com o objectivo de colmatar a saída de João Moutinho. Começou pela equipa B e ficou rapidamente marcado pela expulsão recorde frente ao Zenit. Recuperou de tudo isso e afirmou-se como titular no Futebol Clube do Porto. Ora com Paulo Fonseca, Luís Castro, Julen Lopetegui, Rui Barros ou José Peseiro.

Até aqui, tudo normal. Transferência cara para a altura, diria eu. Mas de resto, tudo normal. O "Economato" não é rubrica para palpitar sobre o desempenho desportivo. É para números. Factos irrefutáveis. Esclarecimentos o mais cabais possíveis. Em concreto, pôr tudo em pratos limpos e esclarecer Vladimir Garcia, jornalista mexicano da Fox Sports MX, que tweetou isto.


Aqui o problema não reside no possível destino de Héctor Herrera, mas sim a referência ao Pachuca, referindo que o clube mexicano detém 30% dos direitos económicos do jogador. Aliás, este senhor deve ser mesmo credível tal a quantidade de sites que citam este tweet: tribal football, 101greatgoals, Empire of the Kop, Fanbolero, 90min ou o Português Fora-de-jogo.

Ora, os factos que nós conhecemos apontam para a falsidade desta declaração. Saltemos para os factos, trazidos para a praça pública pelo site de "leaks" mais famoso do futebol. 

É facto que o Futebol Clube do Porto assinou um contrato com o Pachuca para acordar os pressupostos da transferência de Héctor Herrera a 30 de Maio de 2013. Faço especial foco o parágrafo c) após o "Whereas" do documento, onde é claro que o Futebol Clube do Porto demonstra a intenção de adquirir 80% dos direitos económicos do jogador ao Pachuca. E concretiza-o no parágrafo 1., e descreve a forma de pagamento no parágrafo 2.: quatro parcelas iguais de 2.000.000,00€ cada, com a última a ser paga até 30 de Setembro de 2014. Até aqui, tudo normal. Aliás, o Futebol Clube do Porto relata a participação que tem de Hector Herrera em mais do que um momento. A 30 de Junho de 2013 (pág. 56 e 62, onde declara que pagará encargos adicionais de 1.000.000,00€), repetindo a mesma informação a 30 de Junho de 2014 (pág. 64 e 68), a 30 de junho de 2015 (pág. 68), ou mais recentemente a 30 de Março de 2016 (pág. 26), já com a referência à renovação do seu contrato até Junho de 2019. Nestes relatórios é possível verificar que o Futebol Clube do Porto já concluiu os pagamentos ao Pachuca.

Mais claro do que isto é complicado! O senhor mexicano não sabe usar nenhum motor de busca antes de palpitar no twitter?

Com ou seu tweets, Herrera parece ter um passo fora do Futebol Clube do Porto. Fonte


No entanto, o acordo assinado em Maio de 2013 foi mais além, e é aqui que levanto as minhas dúvidas em relação a todo o processo. Uma dúvida que poderá estar apenas no inglês, nomeadamente na palavra "shall", que indica obrigação. Se, em 2013/14 Héctor Herrera jogasse 15 partidas durante pelo menos durante 45 minutos, o Futebol Clube do Porto tinha de adquirir mais 10% do seu passe ao Pachuca por 1.500.000,00€. Héctor Herrera ultrapassou largamente esse número. E o Futebol Clube do Porto não o fez. Na época seguinte, 2014/15, o Futebol Clube do Porto estava obrigado a fazer o mesmo. 15 partidas com mais de 45 minutos dariam obrigação de compra de mais 10% do passe, totalizando os 100%. Héctor Herrera seria do Futebol Clube do Porto por 11.000.000,00€. Supõe-se que os restante 20% estarão nas mãos do Pachuca. 80% é certo que pertencerão ao Futebol Clube do Porto. Mas o Futebol Clube do Porto estaria obrigado a comprar os restantes direitos económicos, e não o fez. 

Porquê? Trespassou esse direito a outra entidade? É que essa mesma informação é fundamental para este momento em que se conjectura a sua transferência. Explico-me.

O acordo entre o Pachuca e o Futebol Clube do Porto inclui uma "side letter". Um documento à parte que, ao contrário do que acontece no documento original, não tem de ser assinado pelo jogador, e que incluem informações pouco animadoras. Na cláusula c), os clubes acordam que o valor de 20.000.00,00€ é um excelente valor a receber pelo jogador numa futura transferência. E, por isso, os clubes acordam que, enquanto o Pachuca tiver uma percentagem do passe, e apenas entre 30 de Junho e 31 de Julho de cada ano, se o Futebol Clube do Porto receber uma proposta de pelo menos 20.000.000,00€ por Herrera, tem duas opções: ou aceita, ou rejeita e fica obrigado a pagar a percentagem que caberia ao Pachuca, no máximo até 210 dias depois da proposta.



2 amarelos em 20 segundos. Um recorde. Aprendeu a ter juízo... a mal.

Tudo isto levanta várias questões. Em 2013, quem é que se sabia que 20 milhões era um bom valor a receber pelo Herrera? Como é que o Pachuca saberia que o Futebol Clube do Porto recebera uma proposta por Herrera? A ser verdade que o Nápoles estaria disposto a pagar 20.000.000,00€ por Herrera, porque é que o Futebol Clube do Porto ainda não declarou que accionou a cláusula de pagamento ao Pachuca? Cedeu esses 20% a terceiros? Se o fez, redirecciono a questão para o senhor mexicano: onde é que o Pachuca é chamado a isto tudo?


É por isso que faço novo apelo à transparência, à informação, ao esclarecimento. Diz-se em aulas de comunicação que esta serve para evitar ou esclarecer um mal-entendido. Não é necessário nenhum comunicado oficial ou a refutação do Dragões Diário. Apenas um esclarecimento. Que é devido. Para quê esconder esta realidade?  


De referir ainda que Northfields tem direito a 5% de uma possível mais-valia. 10%, se essa proposta for apresentada por um agente específico. A saber, Ricardo Lopez Rivera.


Jorge Nuno Pinto da Costa, Presidente do Futebol Clube do Porto, afirmou que Héctor Herrera não estava a ser negociado com o Nápoles e que só sairia pela cláusula de rescisão, fixada em 40.000.000,00€. Hoje, por exemplo, o Calciomercado avança que o Nápoles aumenta a sua proposta para 25.000.000,00€.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

terça-feira, 28 de junho de 2016

"#VaiNaFé": o Dia 1 do Futebol Clube do Porto de Nuno Espírito Santo.

O primeiro dia de 2016/17 chega com a notícia do afastamento do capitão Helton.



Assim começa o primeiro dia do Futebol Clube do Porto de 2016/17, com Nuno Espírito Santo ao leme.

CAPITÃO HELTON NÃO INTEGRA PLANTEL DE 2016/17
Guarda-redes e FC Porto comunicam decisão tomada de comum acordo

Num comunicado conjunto, a Administração da FC Porto, Futebol SAD e Helton informam:

1 - O guarda-redes Helton não integrará os trabalhos do plantel de 2016/17, decisão tomada de comum acordo entre a Administração da FC Porto, Futebol SAD e o jogador;

2 - Termina assim uma ligação enquanto jogador profissional de 11 épocas consecutivas em que o capitão representou o FC Porto ao mais alto nível, tendo sido sete vezes Campeão Nacional com a camisola dos Dragões. Venceu ainda uma Liga Europa, quatro Taças de Portugal e seis Supertaças.

A Administração da FC Porto, Futebol SAD

Helton da Silva Arruda


Obrigado, Helton. Julgo que tinha chegado a hora para o capitão do Futebol Clube do Porto. Espero que, mesmo assim, possa continuar ligado à actualidade do Futebol Clube do Porto, assumindo outras funções dentro do Clube. À sua história estará sempre ligado. Pelo profissionalismo, pelo sacrifício, pela boa disposição, pela sinceridade, pelo sucesso. Surgem dois problemas com esta saída. Primeiro, perde-se o principal símbolo do actual plantel do Futebol Clube do Porto. Foram 11 temporadas, algo que nenhum jogador actual sequer chega perto. Depois abre-se o problema da sucessão do novo capitão do Futebol Clube do Porto, algo que é da responsabilidades dos jogadores que irão integrar o plantel de 2016/17.

Porque não, no jogo de apresentação, Helton iniciar a partida e jogar os primeiros minutos? Uma homenagem mais do que merecida.


O departamento responsável pelo marketing e comunicação foi rápido a fazer funcionar as redes sociais. Outro nível.

A vida continua, e o Futebol Clube do Porto não foge a essa regra. Os trabalhos arrancaram no Centro de Estágios do Olival com 29 jogadores, incluindo os três reforços João Teixeira, Felipe e Zé Manuel. Do plantel do ano transacto regressaram hoje José Sá, Bruno Martins Indi, Marcano, José Ángel, Rúben Neves, Francisco Ramos, André André, Sérgio Oliveira, Brahimi, Varela, Marega, Evandro, Suk e André Silva. 

Victor Garcia, Omar Govea foram jogadores da equipa B na temporada passada, mas irão fazer a pré-temporada com a equipa principal.

Ricardo Nunes, Andrés Férnandéz, Rafa Soares, Quintero, Ótavio, Josué, Adrián, Gonçalo Paciência, Hernâni e Ivo Rodrigues são os regressos  de empréstimo registados. 

Por se apresentar estão ainda Aboubakar e Chidozie, devidamente autorizados a chegar depois. Os internacionais Gudiño, Layún, Herrera, Diego Reyes, Jesus Corona, Maxi Pereira e Casillas irão desfrutar de alguns dias de férias, fruto do prolongado compromisso com as suas respectivas selecções. Danilo Pereira ainda está ao serviço da selecção Portuguesa. Maicon termina empréstimo apenas no dia 30 e por isso cumprirá a sua última partida pelo São Paulo amanhã, frente ao Fluminense. Um jogador que irá também integra os trabalhos de pré-temporada será Mikel Agu, dispensado da selecção olímpica do seu país por ordem do Futebol Clube do Porto. O seleccionador de sub-23 da Nigéria deu o jogador como autorizado a estar presente nos jogos olímpicos e a sua ambição foi registada em entrevista do passado dia 4 de Junho.  Ainda espero por Gleison e aguardo pela confirmação da exclusão de "desaparecidos" como Fabiano, Sinan Bolat, Kadu, Abdoulaye, Kayembé, Lichnovsky, David Bruno, Licá ou Ghilas...



A paisagem do Olival ficou certamente diferente.


A alteração mais visível padece da "queda" da torre Lopetegui. A torre de observação pedida pelo espanhol desapareceu depois da chegada de Nuno Espírito Santo. Não se tem ideia da utilidade feita pelo treinador espanhol. No entanto, é opinião de Nuno Espírito Santo que esta não lhe será útil. Rapidamente foi abaixo.

No que toca aos trabalhos de hoje, foi possível registar uma pequena conversa entre Nuno Espírito Santo e os jogadores, ao que se seguiu um período de aquecimento. Depois, surgiu uma divisão de método. Uns ficaram no relvado, outros recolheram para fazer trabalho de ginásio. A excepção foi Bueno, ainda em tratamento.

Como sócio e adepto, sinto-me sempre algo expectante quando se dá o início dos trabalhos. É tempo de rever as caras que nos levaram ao sucesso, de conhecer as caras novas que nos irão levar a repetidas conquistas. O problema é que, até agora... nada disso. Já o discurso de Nuno Espírito Santo continua muito ambicioso e motivador. O Treinador do Futebol Clube do Porto falou esta manhã ao Porto Canal. A sua entrevista pode ser vista e ouvida no vídeo do fim da publicação, a partir do minuto 11:24.


A contratação de Nuno Espírito Santo continua a ser mais importante e sonante do mercado de transferências.

Tudo isso pode ter solução caso se confirmem algumas informações presente no novo capítulo da "Silly Season" previsto para amanhã, 29 de Julho. 

Nota para o arranque dos trabalhos da equipa B. Luís Castro também falou ao Porto Canal, mostrou-se ciente do desafio que tem novamente pela frente e foi claro nos objectivos para a nova temporada. Ao dia de hoje, são estes os jogadores à disposição de Luís Castro: João Costa, Ricardo Silva e Mouhamed Mbaye (guarda-redes); Rodrigo Soares, Xavier, Diogo Casimiro, Diego Verdasca, Diogo Leite, Diogo Queirós, Pité, João Graça, Tomás Podstawski, Rui Moreira, Fede Varela, Sérgio Ribeiro, Ayoub, Rui Pires, Moreto Cassamá, João Cardoso, Ismael Díaz, Cláudio, Ruben Macedo, Chikhaoui, Galeno, Danilo, Rui Pedro, Tony Djim, José Pedro, Idrisa Sambú, Mesquita e Luís Mata. A entrevista de Luís Castro pode ser vista e ouvida no vídeo abaixo a partir da hora 1:10:10.



  85 minutos de Especial FC Porto, com tudo sobre o arranque da pré temporada. 



A equipa B conseguiu vencer. Este ano, é a vez da equipa principal. "É o ano do Futebol Clube do Porto".

Crente. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço. #VaiNaFé

"Silly Season" VII: Olíver, Alex Telles, Maicon, Herrera



As publicações relacionadas com a "Silly Season" por que passamos regista novo capítulo a 29 de Julho, segundo dia de trabalhos do Futebol Clube do Porto de 2016/17. Com o Europeu de Futebol a chegar à fase decisiva da competição, o Futebol Clube do Porto chega também à fase de começar a arrumar a casa, com tempo ainda de afectar as contas de 2015/16. Mesmo retirando a dúzia de "desaparecidos" que destaque onten, Nuno Espírito Santo terá, actualmente, um lista de 39 jogadores por onde escolher. E também por esses número exacerbado, que irá sendo corrigido ao longo das semanas, são fomentados os palpites sobre transferências. Sobre saídas e entradas! E, com a chegada da abertura oficial do mercado, este aquece...

Começo por corrigir um erro numa afirmação de uma edição anterior: Bruma não é jogador da Real Sociedad. Foi o próprio clube a esclarecer que o extremo Português terminou o seu empréstimo com o clube e que iria voltar ao seu clube de origem, o Galatasary.




Da mesma forma que comecei com uma correcção, é necessário também deixar uma informação publicada pelo jornal espanhol Marca de hoje: a cláusula de rescisão de Olíver Torres, fixada nos 26.000.000,00€. Um número também difícil de digerir. A mesma publicação garante que o Futebol Clube do Porto está na corrida pelo jogador, com valores a rondar os 15.000.000,00€. Um valor que nem eu, com enorme vontade de ver esta transferência acontecer, vejo o Futebol Clube do Porto a pagar. Mesmo considerando a qualidade do jogador, o Futebol Clube do Porto não contrata assim tão caro. Já existiram excepções, evidentemente. Moutinho e Hulk, este por fases. Mas é caro... Há quem diga que as contratações caras são aquelas que não rendem dentro do campo. Olíver já mostrou qualidade de azul e branco ao peito. Seria titular, com toda a certeza.


Alex Telles continua a ser tema para a imprensa "especializada". O jornal Htsport, citado hoje pelo jornal OJOGO, aponta novamente para a possibilidade do Futebol Clube do Porto contratar o jovem defesa-esquerdo do Galatasary. O valor da transferência, segundo esta publicação, rondaria os 7.000.000,00€, mas que poderia ser atenuado na eventualidade de jogadores seguirem o sentido oposto. O seu ingresso seria uma excelente adição para as opções de Nuno Espírito Santo.


Por fim, um regresso confirmado pelo próprio jogador.




Em sentido oposto, o jornal Marca volta a ter espaço para falar sobre o Futebol Clube do Porto. Bueno é interesse do Granada e pode tentar concretizar o seu empréstimo para a próxima temporada, com uma opção de compra do seu passe. Gostaria que Bueno tivesse nova oportunidade no clube. No entanto, é também importante compreender a utilidade de um jogador como Bueno no xadrez de Nuno Espírito Santo. Na teoria, praticamente nula. Neste 4x3x3, resta a Bueno esperar pela utilização como segundo ponta-de-lança em situações de resultado desfavorável ou uma adaptação a um dos flancos. Perante a possibilidade de ter ser mais utilizado no Granada, Bueno pode ser persuadido ao empréstimo. Paco Jémez conhece-o muito bem.


De Espanha também vêm notícias sobre José Ángel. O fichajes.net escreve que o defesa-esquerdo espanhol não quer continuar no Futebol Clube do Porto, que detém apenas 50% do passe do jogador. Ingressou sem qualquer custo. E quem sabe se poderá sair sem qualquer custo. Com o regresso de Rafa Soares e a possibilidade do ingresso de Alex Telles, José Ángel fica sem espaço no Futebol Clube do Porto. Desejo a melhor das sorte ao jogador espanhol. No Villareal ou noutro clube.


Quanto ao crónico Maicon, o Presidente do São Paulo insistiu, este domingo, que o São Paulo vai tentar de tudo para ficar com o jogador emprestado pelo Futebol Clube do Porto. Neste momento, o "tudo" que o São Paulo tem de alcançar são 8.000.000,00€. 

"É por aí, é por aí. Vamos tentar de tudo e estamos 100% confiantes de que dará tudo certo."

Um valor, na minha opinião, mesmo a pronto, diminuto. No Brasil, a ESPN garante que o jogador ficará no São Paulo refere que o Futebol Clube do Porto ficará com 50% do defesa-central Lucão e do defesa-esquerdo Inácio. A Bola faz eco do que o que Esporte Interativo escreveu , vai mais longe e adiciona o valor que o São Paulo vai pagar: 6.000.000,00€. Um valor que igualaria o recorde do São Paulo, valor que pagou por um jogador: Paulo Henrique, também conhecido como "Ganso". Curiosamente, a sua hipotética saída para o Sevilha poderá possibilitar os fundos para esta transferência. Parece-me muito pouco, mas também me parece o possível. O São Paulo já festeja a manutenção do "zagueiro".



Obrigado, Maicon. Foste essencial na reviravolta na Luz e na grande vitória europeia frente ao Chelsea, por exemplo. Nunca se abandona o barco da forma como abandonaste frente ao Arouca, ainda por cima enquanto capitão. O fim ficou traçado nesse momento. 


Finalmente, Héctor Herrera. Não é totalista nas publicações sobre a silly season, mas quase. Continua a existir um imbróglio monumental com a sua transferência. Desta vez, é o ANTIGO director desportivo do Nápoles a palpitar no "TUTTO mercato WEB". Diz que o problema é o Pachuca, e não o Futebol Clube do Porto, dizendo que o clube mexicano detém 30% do passe do jogador. Estão a ver aquelas mentiras, que quando ditas muitas vezes, parece que são verdade? Relembro uma verdade: o Futebol Clube do Porto reportou, em vários R&C, que detém 80% (OITENTA POR CENTO) do passe do jogador. Qual é a dúvida? Partilho o "tweet" que foi citado por vários meios de comunicação e que gerou toda esta confusão.

Espanhóis, italianos, ingleses... Tudo cita isto e tudo vai enganado. Ou será que somos nós que vamos enganados? De toda a maneira, existem outros dados relevantes neste palpite, que é o valor da transferência. É que o contrato assinado entre o Pachuca e o Futebol Clube do Porto para a transferência de Herrera traz bastante cláusulas. Uma delas é que, entre 30 de Junho e 31 de Julho, o Futebol Clube do Porto terá de aceitar qualquer proposta acim dos 20.000.000,00€. Informações para esclarecer numa edição do Economato, no fim do dia. Mas o próprio Calciomercato estica a proposta do Nápoles para os 22.000.000,00€.

Recordo as declarações de Jorge Nuno Pinto da Costa, Presidente do Futebol Clube do Porto, ao JN.

“Tenho ouvido e lido um romance muito engraçado que envolve o Nápoles. Pelo que tenho sabido através dos jornais, o Nápoles ofereceu 20 milhões e o F. C. Porto quis 25. Se o Nápoles anda a negociar com alguém, não é com o F. C. Porto, nem é com ninguém mandatado por mim. Posso garantir que é tudo mentira e que o Herrera só sairá pela cláusula de rescisão”.


Claro que quem interpreta esta declaração como uma indirecta dentro de uma negociação, está tranquilo. Quem leva à letra, como eu gosto de levar as coisas, não fica satisfeito. Um possível aperto do fair-play financeiro poderá precipitar a transferência.


Crente. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço. #VaiNaFé

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Com quem Nuno pode contar: sector ofensivo.



Até ao momento em que escrevo, nem Aboubakar confirmou a sua ida para a China, nem o avançado prometido por Jorge Nuno Pinto da Costa chegou. Por isso, palpita-se com o que está seguro, começando pelos extremos.

Com o 4x3x3 prometido por Nuno Espírito, a preponderância dos extremos será grande. Corona não vai aos Jogos Olímpicos e é opção para o play-off. O mesmo acontece com Varela e Marega. Jorge Nuno Pinto da Costa negou qualquer negociação por Brahimi. João Teixeira e Zé Manuel são reforços. Existem depois os emprestados Licá, Hernâni  e Ivo Rodrigues. Gleison é jogador do Futebol Clube do Porto e fará com certeza a pré-temporada com a equipa principal.


Palpite do treinador de bancada:
Tendo em conta este cardápio, era tão complicado para Jorge Nuno Pinto da Costa dizer que estamos a precisar de extremos. No plural. E com urgência. Corona tem lugar assegurado, mas parece-me claro que Brahimi não ficará no plantel. O destino de Varela também é incerto. Palpito que ainda fique no plantel. Nem sei o que faça com Marega… Um empréstimo à Mota-Engil talvez? Alguém conhece o Paulo Portas? Não compreendo o que Zé Manuel vem fazer ao Futebol Clube do Porto. Quanto a Gleison e a Ivo Rodrigues, terá uma oportunidade de se mostrar a Nuno Espírito Santo. 

É por isso fundamental que o Futebol Clube do Porto se reforce. Não é apenas contratar por contratar. Um reforço (até mais do que um) que seja capaz de, de forma inequívoca e até natural, assuma a responsabilidade que é ser titular do Futebol Clube do Porto, ainda para mais com um duplo desafio com diferença de cerca de uma semana tão fundamental como será o play-off de acesso à Liga dos Campeões. Espero que Hernâni fique no plantel, mas pode ser usado como moeda de troca noutro negócio. Quanto a Gleison e a Ivo Rodrigues, um empréstimo poderá estar no seu horizonte. E o que dizer de Zé Manuel ou Licá? Nada.


 
Sinceramente, espero que o interesse se concretize...

Quanto ao ponta-de-lança, André Silva é Gestifute, recebeu uma actualização salarial e continua no Futebol Clube do Porto. Falta agora a actualização da cláusula de rescisão, actualmente em 25.000.000,00€. Suk e Aboubakar são as outras opções. Caso se confirme a contratação de mais uma opção para a frente e ataque, a saída de um destes dois será inevitável. Palpito que seja o camaronês a rumar a outras paragens. Bueno teve pouco espaço no Futebol Clube do Porto, com lesões pelo caminho. De regresso estarão Adrián, Gonçalo Paciência e Ghilas. Sami já tem regresso marcado para o Akhisar.

Palpite do treinador de bancada:
Gostaria que Aboubakar rapidamente aceitasse uma proposta de outro clube. André Silva terá de ser a referência do ataque do Futebol Clube do Porto.  No entanto, deverá ter autorização para ir ao Brasil lutar por uma medalha. Sobra Suk, Adrián, Bueno, Gonçalo Paciência e Ghilas. Compreendo o imbróglio em que o Futebol Clube do Porto está metido. Julgo que todos vão ter oportunidade de mostrar o seu valor a Nuno Espírito Santo. Espero que Suk se mostre nos Jogos Olímpicos. O mesmo pode acontecer a Gonçalo Paciência. Adrián e Bueno vão ser opções para a pré-temporada, até ser decidido o seu destino. Daria uma segunda oportunidade a Bueno, mas continuamos com a necessidade de contratar. Já vi suficiente de Adrián com a camisola do Futebol Clube do Porto. Ghilas parece-me muito dispensável.


Amanhã arrancam oficialmente os trabalhos de pré-temporada do Futebol Clube do Porto. Apenas João Teixeira e Felipe foram apresentados oficialmente como reforços. O Português a custo zero. Zé Manuel ainda está por ser oficializado. Um mês de Junho à Troika, conforme a realidade contabilística do Futebol Clube do Porto. Dinheiro até existe. Não há é disponibilidade para o gastar até ao fim do mês. Uma espécie de falta de cabimento chamado fair-play financeiro. O malabarismo "EuroAntas" ficou pelo caminho. Mas o mais estranho é que, do plantel 2015/16, que tão míseros resultados trouxe, o Futebol Clube do Porto ainda não vendeu qualquer jogador até ao momento. Do que estão realmente à espera? De apenas podermos inscrever 22 jogadores nas competições europeias?


Céptico. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

domingo, 26 de junho de 2016

"Silly Season" VI: Alex Telles, Jonathas, Diego Reyes, Aboubakar e Maicon


As publicações relacionadas com a "Silly Season" por que passamos registam novo capítulo a 26 de Junho. Com o mundo do Futebol concentrado em França, com o Europeu, e nos EUA com a final da Copa América, o Futebol Clube do Porto está em férias, por enquanto. A excepção cai no ciclismo, com Rafael Reis a ser terceiro nos Campeonatos Nacionais de contra-relógio e com o Snooker a dar que falar.

O futebol sénior regressa ao trabalhos com Nuno Espírito Santo a dia 28. Luís Castro irá continuar na equipa B, e irá ser obrigado a nova revolução no plantel de disponíveis para 2016/17. Recentemente, soube que pode contar novamente com Cláudio Ribeiro, emprestado pelo Vitória de Guimarães, e com Rui Pedro, que renovou até 2021. O objectivo é mesmo formar novos valores para a equipa principal. Mas, se der para lutar pela Segunda Liga novamente... porque nã0?



Na entrevista exclusiva de Jorge Nuno Pinto da Costa ao Jornal de Notícias, o Presidente do Futebol Clube do Porto confirmou que a procura por mais reforços continua, com o foco no centro da defesa e no ataque.

“Estou convencido que vamos ter mais alguém. É prioritário ter mais um central e um ponta de lança.”

A imprensa escrita preferiu, em primeira instância, não focar-se em nada disso. Alex Telles é então referenciado como possível reforço para o Futebol Clube do Porto. Defesa-esquerdo de 23 anos, jogou em 2015/16 no Inter de Milão, por empréstimo do Galatasary. Confesso ver futuro neste jovem jogador. Talvez por isso, a exigência financeira da sua contratação possa mesmo ser o único pretexto que a impeça. Há quem diga que o Futebol Clube do Porto oferece 4.000.000,00€ + Josué + Hernâni a título definitivo no Galatasary. Deixo ao critério de cada um a análise deste negócio, relembrando que também seriam possíveis jogadores a abater ao preço da transferência de Rafa, caso não se concretizasse pela cláusula de rescisão. 


Porém, eis que surge novo nome para colmatar essa lacuna na frente de ataque: Jonathas. O seu 1,92mts de altura permite-lhe ser competitivo no jogo aéreo, mas também se demonstra voluntarioso, emprestando o seu esforço à equipa nos diversos momentos do jogo. Confesso com que não conheço o jogador como gostaria para palpitar sobre a sua qualidade e utilidade para Nuno Espírito Santo. Por isso, deixo um vídeo com uma das suas celebrações, que correu mundo, ainda ao serviço do Elche. Os seus números, no entanto, não são tão animadores. Nenhum valor é avançado pela imprensa, pois a intenção é mesmo abater ao custo de um outro negócio, envolvendo a Real Sociedad, o seu actual clube. Mais detalhes um pouco mais à frente.




Notas rápidas do estrangeiro para notícias francesas que incluem o interesse do Futebol Clube do Porto em Anthony Koura (avançado, 23 anos, Nîmes), em Nelson Monte (defesa-central, 20 anos, Rio Ave) e para a notícia do Mundo Deportivo, onde se lê que o Atlético de Madrid pede 30.000.000,00€ ao Futebol Clube do Porto por Óliver Torres. Um número que tive dificuldade em digerir...



Em sentido oposto, quando Jorge Nuno Pinto da Costa declara que o Futebol Clube do Porto procura por um avançado, Aboubakar pode estar na porta de saída. Na sua entrevista ao JN, o Presidente do Futebol Clube do Porto não quis comentar a situação do avançado camaronês. Anteriormente já se tinha noticiado a possibilidade ser aliciado pelos milhões chineses. O Everton parece ter se juntado à corrida pelo jogador, oferecendo um projecto competitivo ao jogador e uma proposta que poderia persuadir o Futebol Clube do Porto. Com franqueza, espero que o negócio se concretize, abrindo espaço para a afirmação de André Silva como o ponta-de-lança do Futebol Clube do Porto  e para nova contratação para o centro do ataque. Acredito que os milhões da China se mostrarão mais fortes do que o projecto desportivo do Everton.


Depois há a situação "Maicon". Começo por partilhar declarações recentes do defesa-central emprestado ao São Paulo.

«Referi que quero permanecer e a decisão é da administração. Estou calmo, porque procurei ajudar da melhor maneira o São Paulo. Estarei feliz se renovar o meu contrato»

Claro que o Futebol Clube do Porto estará a fazer-se de difícil, pois o jogador terá certamente proposta bem mais tentadores de clubes Europeus. Tentadoras para o Futebol Clube do Porto, claro. Já para Maicon, não estarei tão certo. O Futebol Clube do Porto insiste na mensagem que aponta para o seu regresso e apresentação nos trabalhos de pré-temporada, no máximo dia 1 de Julho. Continuo com a firme convicção que fará novo rumo, a curto-prazo e de forma definitiva.


Algo semelhante poderá estar a ocorrer com Diego Reyes. Tal como o São Paulo, a Real Sociedad desejava manter o jogador. No entanto, tal como revelou a uma entrevista exclusiva a um meio de comunicação mexicano, ele tem ordem para se apresentar no Olival a 28 de Junho. Mas a solução poderá ser encontrada de forma célere. A imprensa adiantou Jonathas como possível moeda de troca para a transferência de Diego Reyes. A esse "bolo" poderá também ser acrescentado Bruma, que depois de um empréstimo, foi contratado de forma definitiva. De toda a maneira, não é de descartar a possibilidade do extremo Português ingressar no Futebol Clube do Porto mesmo que Diego Reyes tenha outro destino. Os holandeses do soccernews.nl até adiantam que Bruma já foi contratado, desviando-o do PSV.

Confesso que este tipo de trocas não me agradam. Talvez pela cultura instalada. Em Itália, por exemplo, é um método habitual de negócio. No entanto, este método parece ser ainda permeável a perdas de percentagens de passes a meio do percurso. Ou retidas pelos clubes ou desviadas para empresários. Julgando pelos jogadores envolvidos, não só me parece uma boa opção, como abriria o leque de opções de Nuno Espírito Santo. O centro da defesa necessita de opções diferentes.


Uma nota final para algo que manifestamente não devia estar aqui, mas que merece a menção. Portugal ganhou à Croácia por 1-0, como um golo de Ricardo Quaresma. Para esta partida, Portugal utilizou uma estratégia diferente, dentro e fora do relvado. Não só foi a equipa que procurou defender e procurar a sorte (algo que não tinha ocorrido na fase de grupos), como os adeptos da Selecção Nacional decidiram finalmente organizar-se e juntar esforços para um apoio mais audível e eficaz  no estádio. Ao leme, esteve Fernando Madureira, líder dos Super Dragões. Não seria possível tal apoio se não existisse a concordância dos Ultras de Portugal. Ontem fizeram a diferença, e a Selecção sentiu-o! Parabéns a todos!


Como Portista, continuo igual até ao início dos trabalhos. Céptico. Preocupado. 


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Com quem Nuno pode contar: meio-campo.




Ao verificarmos o verdadeiro "cardápio" de opções que Nuno Espírito Santo tem para este sector há sempre que relembrar algo: não confundir quantidade com qualidade.

A entrevista de Nuno Espírito Santo à revista Dragões foi fundamental para compreender que desenho táctico o Treinador do Futebol Clube do Porto irá dar preferência durante a temporada. O 4x3x3 irá regressar, mas com uma dinâmica mais rápida do que a sua última aparição. Neste desenho, Danilo Pereira terá uma preponderância enorme. O mesmo deverá acontecer com Rúben Neves. E depois ficam as dúvidas. André André será um elemento chave no Futebol Clube do Porto? E Sérgio Oliveira? Será que é desta que Evandro é aposta de um Treinador do Futebol Clube do Porto? Qual é o destino de Hector Herrera? E Francisco Ramos? O que fazer com os regressados Josué, Otávio ou Quintero? Só vendo o que Nuno Espírito Santo quer do meio-campo do Futebol Clube do Porto. A sua descrição da manobra ofensiva e defensiva sugere que Héctor Herrera seria um elemento-chave.


Leandro Silva e Tiago Rodrigues nem chegaram. Tiveram de imediato guia de marcha. Paços de Ferreira e Marítimo, respectivamente.


Palpite do treinador de bancada:
Danilo Pereira, Rúben Neves, André André, Sérgio Oliveira e Otávio. Não era mal pensado perguntarmos por Óliver Torres para completar o leque de opções. De toda a maneira, precisávamos de um reforço. Um, apenas. Na época passada, Imbula tinha o perfil ideal, mas não se mostrou capaz. Para 2016/17, o perfil manter-se-ia, a meu ver. É tempo de Hector Herrera jogar num estádio onde não seja constantemente assobiado. Palpito que o Futebol Clube do Porto terá outras ideias para Josué e Evandro. Francisco Ramos lucraria com um ano de Primeira Divisão. Quintero precisava de adequar a sua dieta à sua profissão. Se isso acontecesse, era titular fácil. Qualidade não lhe falta! Assim, não vejo modos de ficar no Futebol Clube do Porto. Nuno Espírito Santo terá a possibilidade de ver praticamente todos. Certamente tomará a melhor decisão. O estágio de pré-temporada terá também Omar Govea. Estou curioso para ver como se "safa" ao mais alto nível.


Este é um sector do terreno que poderá contar com muitas baixas durante a pré-temporada. Danilo Pereira chega tarde das férias. Rúben Neves e Sérgio Oliveira poderão ser chamados por Rui Jorge para a busca pela medalha olímpica. Relembro a importância do play-off de acesso à Liga dos Campeões. Crucial para a próxima temporada. Até ao momento, não é possível compreender quem irá aos Jogos Olímpicos ou se existem reforços alinhados para este sector do terreno. Matéria-prima não falta, mas Nuno Espírito Santo poderá também estar à procura de um jogador que ofereça algo de diferente. Esperemos por novidade. Até dia 28, seria importante definir o mais possível.


Céptico. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Com quem Nuno pode contar: sector defensivo



O  sector defensivo foi a zona do terreno onde o Futebol Clube do Porto mais cedeu na temporada passada e onde se melhor reforçou para a próxima temporada, até ao momento. Em especial, a dupla de centrais nunca foi constante, nem nos jogadores escolhidos, nem no desempenho. Uma análise algo consensual entre os Portistas. Por isso o Futebol Clube do Porto já contratou Felipe. Também por isso, o Futebol Clube do Porto tentou Bruno Alves. A comunicação social, nomeadamente a escrita, fez uso das suas capas para palpitar outras possibilidades. Jorge Nuno Pinto da Costa utilizou um desses meios para confirmar a intenção de continuar a reforçar o sector defensivo, mas rejeitando os nomes avançados.

Mas primeiro é necessário olhar para o que Nuno Espírito Santo tem à disposição e depois avançar para possíveis reforços. O Futebol Clube do Porto conta com três centrais no plantel: Chidozie, Marcano e Martins Indi. Lichnovski, Abdoulaye, Maicon e Diego Reyes regressam de empréstimo. Felipe é o novo nome desta lista. E Diego Verdasca, pela época que fez, merece ser escrutinado.

Serão várias as decisões que Nuno Espírito Santo terá de tomar. A meu ver, Martins Indi continuava a ser o melhor central à disposição até à contratação de Felipe. Marcano, Abdoulaye e Diego Reyes poderão ter guia de marcha. O senegalês até poderia ser dispensado. Já o espanhol pode ter mercado no seu país que dê a possibilidade de recuperar o investimento feito há duas temporadas (2.650.000,00€). Quanto a Diego Reyes, a venda poderá ser uma boa oportunidade de fazer render um activo que pouco contribuiu para o sucesso no clube e que já afirmou que não pretende voltar ao Futebol Clube do Porto. Se mal vimos Lichnovksi na equipa A, Chidozie mostrou que precisa de jogar e errar mais para aprender a acertar mais vezes. Ambos deverão ir rodar para outras paragens. Quanto a Maicon, prefiro não me repetir, abrindo um último espaço para falar sobre ele quando for confirmado o seu destino.

Palpite do treinador de bancada:
Ficaria com Indi, Felipe e Diego Verdasca, acreditando na possibilidade da contratação de mais um elemento para o centro da defesa. Recordo o namoro de verão do ano passado foi Rudiger. O falhanço foi tão grande que o Clube deixou de querer outro e não contratou ninguém. Foi o que se viu.

Acredito que não fugirá muito disto. No entanto, se Martins Indi tiver interessados que cubram o investimento feito pelo Futebol Clube do Porto, não vejo grande resistência do Futebol Clube do Porto, promovendo (espero eu) a manutenção de um dos nomes descartados, que poderão ter resolução mais definitiva do que o empréstimo.


O último exemplo onde a defesa do Futebol Clube do Porto voltou a claudicar.


Nas laterais, a realidade mostra-se bem diferente. Maxi Pereira seguro no flanco direito. Layún contratado em definitivo no flanco esquerdo. Já José Ángel está no seu último ano de contrato. Ricardo Pereira poderá eventualmente regressar. Victor Garcia e Rafa Soares é que estarão garantidos na pré-temporada. Na entrevista ao JN, Jorge Nuno Pinto da Costa não palpitou sobre a possibilidade de um reforço para as laterais. Creio que Nuno Espírito Santo terá uma visão semelhante. José Ángel deverá começar a procurar clube. Se Ricardo Pereira continuar no Nice, estarão encontrados os quatro escolhidos para a próxima época. A possibilidade da contratação de Alex Telles ainda não será levada em conta.

Palpite do treinador de bancada:
Continuo sem perceber como é que Maxi Pereira ainda veste a camisola do Futebol Clube do Porto. Pela qualidade que traz e pelo preço. Layún, por exemplo, certamente não cobrará 4.000.000,00€ por época. Veria com bons olhos o desvio destes fundos (são mais TRÊS anos de contrato!) para um reforço da ala esquerda para competir pela titularidade com Rafa Soares. Layún na direita com Ricardo Pereira se possível. Senão, Victor Garcia não envergonha ninguém! Todo este palpite cai por terra se Alex Telles, ou outro lateral, ingressar no Futebol Clube do Porto.

Mesmo assim, Nuno Espírito Santo poderá deixar para tarde algumas decisões. Tanto Rafa Soares como Ricardo Pereira poderão estar presentes nos Jogos Olímpicos. E não é só nessa zona do terreno onde essa competição poderá afectar a preparação do play-off de acesso à Liga dos Campeões.


Céptico. Preocupado. Portista.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.