sexta-feira, 22 de abril de 2016

À noite na TV: O documentário sobre Pinto da Costa e a entrevista de Lopetegui.

Uma "união" que eu nunca soube compreender. A "separação", pelos vistos, tem duas versões. Fonte

Redigir uma publicação onde Jorge Nuno Pinto da Costa, Presidente do Futebol Clube do Porto, partilha o espaço com Julen Lopetegui, que foi despedido por ele, é e será sempre criticável. Aliás, o Futebol Clube do Porto devia esquecer Julen Lopetegui e seguir o seu caminho. De toda a maneira, ambos partilharam o espaço televisivo da noite de quinta-feira, dia 21 de Abril. Nesse sentido, também partilharão a mesma publicação.

A rúbrica “Azul e Branco” do programa “Universo Porto” seguiu todos os passos do Presidente do Futebol Clube do Porto nas 48 horas do passado fim-de-semana e apresentou a primeira parte dos resultados, em jeito de documentário, no Porto Canal. O “promo” já tinha apontado para um Presidente bem-disposto, presente e generoso. Algo que, em praça pública, sempre o praticou.

Confirmou-se a convivência que tem com os jogadores e treinadores. Tanto do Futebol, como das restantes Modalidades. Reinaldo Ventura, que agora joga no Óquei de Barcelos, foi o primeiro a elogiar Jorge Nuno Pinto da Costa e o trabalho que trouxe o Futebol Clube do Porto até o que é hoje. E o Hóquei subiu, com Jorge Nuno Pinto da Costa, a patamares nunca antes atingidos. A seguir, o Andebol e a importância vitória frente ao Benfica, e o Hóquei a derrotar o Óquei de Barcelos. À noite, o jantar de apoio à sua candidatura conclui um longo dia que terminou apenas no domingo, que também teve muita atividade. Pequeno-almoço com a equipa de Futebol, tarde com as Eleições, noite com a vitória frente ao Nacional. Pelo meio, o cumprimento de metas pessoais, sempre com o bom humor característico.

Evidentemente, todos falaram bem de Jorge Nuno Pinto da Costa à frente da câmara, e com ele ao lado. Aliás, numa primeira impressão, é muito difícil não gostar de Jorge Nuno Pinto da Costa, uma personagem afável, bem-humorada, de enorme simpatia e cuja “cavaqueira” é constante sempre que presente. Mas, em entrevistas de quem não tem em boa consideração Jorge Nuno Pinto da Costa, porque saíram pela porta pequena do Futebol Clube do Porto, descrevem de forma mais “agridoce” a personalidade do Presidente do Futebol Clube do Porto. E era isso que podia acontecer pouco depois. Mas não...

Pelas 23h00, o registo foi diferente. As atenções concentraram-se na RTP3, com a entrevista dada pelo antigo Treinador do Futebol Clube do Porto, Julen Lopetegui, à televisão do Estado Português para falar, em larga medida, do Futebol Clube do Porto. E por isso mesmo é que essa entrevista também merece reflexão. Se Jorge Nuno Pinto da Costa revela as dificuldades em contactar com o espanhol ou o seu representante, a RTP não padece dessas limitações e até convenceu-o a ser entrevistado. 

A entrevista foi conduzida pela Daniela Santiago e teve a duração de cerca de 15 minutos. Lopetegui nega a inexistência de um acordo, porque este está finalizado depois da rescisão assinada com o Futebol Clube do Porto. Desmente Jorge Nuno Pinto da Costa em várias ocasiões, pese embora elogia o Presidente do Futebol Clube do Porto. Queria despedir-se dos jogadores e não lhe foi possível. Queria falar com o Presidente, mas não lhe atendeu o telefone. Em direcção oposta, a comunicação nunca ocorreu. O empate frente ao Rio Ave mereceu reflexão mas sublinha que todos os objectivos ainda estavam ao alcance e só pensava no Boavista. Cinco dias antes, o Futebol Clube do Porto era líder. No dia seguinte, tudo mudou…

Esta afirmação requer uma resposta imediata de Jorge Nuno Pinto da Costa,
repondo a verdade e refutando esta afirmação.

A assessoria do Presidente merece crítica do treinador espanhol. Primeiro porque a situação desportiva se deteriorou depois da sua saída, e puxa dos cordelinhos, sublinhando a luta até ao fim com o Benfica e a caminhada brilhante na Liga dos Campeões. Depois pelo facto de ainda estar em quatro competições. Por último pela valorização dos jogadores e das vendas que são recorde.

Vinha preparado e defendeu-se como pode. No entanto, com cada palavra, só se expôs a um maior ataque.

“Perdemos uma vez e tivemos contestação até as 5h da manha. Agora perdem 5 jogos e não há nada”. Frase interessante. Desejou o melhor ao Futebol Clube do Porto e aos adeptos que sempre o respeitaram.

Não há nada? Está desatento, caro Julen... Olhe os votos nulos...

Julen Lopetegui é, para mim, só e apenas parte da memória, do arquivo, do histórico do Futebol Clube do Porto. Mas porque falou sobre o passado e comentou o presente, foi-lhe dada a devida atenção. É vergonhoso que um profissional que não ganha um único título não consiga admitir que cometeu um único erro. Para ele o processo foi todo limpo. Impressionante… Depois esquece-se que das quatro competições onde estava envolvido aquando da sua saída, foi eliminado da Liga dos Campeões de uma forma lamentável. Já da Taça da Liga, o Futebol Clube do Porto estava eliminado. O Marítimo fez sete pontos na fase de grupos. Lopetegui estava por um fio mas achava que a época passada e a liderança durante o Natal dava-lhe crédito para passar três jogos sem ganhar. Errado! A época passada só lhe retirou margem de manobra pela falta de sucesso. No Futebol Clube do Porto só deve continuar quem é campeão. O histórico assim o demonstra. Ou não foi bem informado, ou esqueceu-se disso na hora da verdade. Os resultados financeiros servem de escrutínio para a gestão da SAD. Não sobre o rendimento da equipa de Futebol. Que, diga-se em abono da verdade, mesmo com as muitas opções, não jogava o melhor futebol. Para mim, Julen Lopetegui é um assunto praticamente encerrado. Praticamente…

Isto porque a contradição dos factos relatados pelo Presidente do Futebol Clube do Porto requer uma resposta sua imediata. Um desmentido do Dragões Diário não basta. Deve vir imediatamente a público corrigir o que Lopetegui disse para dissipar quaisquer dúvidas. Isto se o que Lopetegui disse é mentira. A ser verdade, Jorge Nuno Pinto da Costa, enquanto Presidente do Futebol Clube do Porto, mentiu aos seus sócios. E isso não pode ser tolerável.

Para mim este devia ter sido o momento final de Julen Lopetegui no Futebol Clube do Porto. Fonte

No meio disto tudo há claramente uma característica da personalidade de Jorge Nuno Pinto da Costa, Presidente do Futebol Clube do Porto, que até é de louvar: a lealdade. Se calhar é por isso que a assessoria do Presidente poderá não ser a melhor. E, na minha óptica, até nem é. Até porque, em primeira instância, foi a assessoria do Presidente que recomendou a contratação de Julen Lopetegui. Não é que, a meu ver, Jorge Nuno Pinto da Costa deva deixar de ser Presidente do Futebol Clube do Porto. O problema é que ele constantemente segura e renova com quem prejudica o Futebol Clube do Porto. As pessoas que indicaram Paulo Fonseca, contrataram Julen Lopetegui e agora escolheram José Peseiro são as mesmas que estão a desenhar a temporada 2016/17. Por isso mantenho o meu estado de espírito.

A RTP disponibiliza a entrevista de Julen Lopetegui na sua totalidade aqui


Céptico. Preocupado. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário