sábado, 5 de março de 2016

“Tudo bons rapazes”

Antero Henrique é o novo Administrador Executivo da SAD Portista. Foto zerozero.pt

A Assembleia Geral da Futebol Clube do Porto SAD reelegeu esta quinta-feira o actual Presidente do Futebol Clube do Porto e da Futebol Clube do Porto SAD Jorge Nuno Pinto da Costa na Presidência do seu Conselho de Administração. Outra decisão da Assembleia Geral foi o aumento do número de administradores, de 5 para 7. A anterior administração contava com o Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa e os Administradores executivos Fernando Gomes, Adelino Caldeira e Reinaldo Teles. A estes junta-se Antero Henrique. Para funções não executivas, José Américo Amorim, junta-se a Rui Vieira de Sá.

No caso de Antero Henrique, será apenas um elevar de posto que pouco mudará na estrutura do clube. Como director-geral, Antero Henrique sempre foi visto como o homem forte do Futebol e, nesse sentido, é um upgrade aos seus direitos, e menos aos seus deveres.

Por exemplo, e bem constatado pelo Tribunal do Dragão, Antero Henrique passa a gozar do privilégio de aprovar contratos e transferência onde o clube intervém, sendo depois necessária uma segunda assinatura de um outro administrador com funções executivas para que o contrato seja confirmado.

Se é verdade que, no papel, veremos o nome de Antero Henrique mais vezes, o que é facto é que esta adição não altera o funcionamento da SAD. Não creio que negócios que dantes não fossem aprovados, passem a ser.

Antero Henrique reafirma a sua posição de poder na SAD

Duas notas importantes sobre a Assembleia. É importante compreender o timing da convocatória. Sé é verdade que o quadriénio já começou, também é verdade que o clube, como principal accionista e único capaz de indicar os membros da Administração, tomou a decisão deplorável de fazê-lo antes das eleições para o clube. A validação dos accionistas das SAD não se deveria sobrepor à validação da direcção do clube em eleições. O facto de, até ao momento, estar garantida a eleição, devido à falta de listas concorrentes, não significa que a rectificação da actual direcção em eleições seja desnecessária. Uma vez mais, os sócios são atropelados pela falta de alternativas que deixem os actuais responsáveis em sentido.

Por outro lado, a quase unanimidade da sua eleição. Um abraço à coragem do acionista com 0,0005% de participação que compareceu à assembleia e que decidiu abster-se. Não sei porque o fez. Mas teve a coragem de o fazer. É importante sublinhar que os accionistas são um grupo diferente dos sócios que aparecem às assembleias-gerais. No entanto, nem sei foi fácil elevar a voz ou demonstrar descontentamento.

Eleições a 17 de Abril, e ainda sem oposição, Jorge Nuno Pinto da Costa irá ser reconduzido para o seu 14º mandato à frente do clube. Tempo haverá para analisar todo mandato antes do acto de voto. Até lá, há pontos para conquistar e perseguir os clubes da capital.

O comunicado sobre a Assembleia Geral está publicado no site da CMVM.

Positivista. Crente. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

2 comentários:

  1. Há uma AG no próximo dia 14 para definição do regulamento eleitoral. É fundamental a presença de todos os sócios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Lápis Azul e Branco, obrigado pelo comentário.

      Já verifiquei a notícia publicada hoje no site do Futebol Clube do Porto. Infelizmente a informação divulgada é escassa, e não há detalhes sobre o local. Existe uma outra divulgação com maior detalhe?

      Um abraço.

      Eliminar