quarta-feira, 16 de março de 2016

Ténues sinais de vida

O Futebol Clube do Porto pretende renovar com Iker Casillas
A assembleia-geral do Futebol Clube do Porto foi pródiga em pedidos, e até exigências ao clube, e particularmente à SAD, onde o clube é accionista maioritário.

Um dos temas abordados pelos sócios com maior vigor foi o da comunicação. Com os sócios e com os restantes intervenientes do Futebol. A comunicação com os sócios é, de facto, deplorável. Aliás, a última assembleia-geral foi prova disso mesmo. Nessa matéria, o Futebol Clube do Porto terá ainda muito para evoluir e, após a eleição, terá forçosamente que reforçar esse departamento.

Já para fora do clube, principalmente na retaliação a quem quer fazer mal ao Futebol Clube do Porto ou aos seus representantes, a assembleia-geral parece ter dado alguns resultados, contra aquilo que previa. Senão vejamos.

No dia seguinte à assembleia-geral, além de notícias falsas acerca do que se passou no Auditório 3, o Sindicato dos Jogadores emitiu um comunicado condenando uma suposta agressão a um operador de câmara da Sport TV à saída do Estádio do Dragão. Rapidamente o Futebol Clube do Porto, e bem, respondeu:

"O Sindicato dos Jornalistas emitiu ontem um comunicado por causa de uma alegada agressão a um repórter de imagem no exterior do Estádio do Dragão. O FC Porto estranha que o Sindicato dos Jornalistas se substitua a qualquer investigação das autoridades e identifique os autores do incidente como adeptos do nosso clube. Com que factos se suporta o Sindicato dos Jornalistas para assegurar que se tratam de adeptos do FC Porto? Já não seria a primeira vez que incidentes nas imediações do nosso estádio foram protagonizados por adeptos de outros clubes, como aconteceu, por exemplo, antes de um FC Porto-Sporting em que um numeroso grupo de adeptos, que se veio posteriormente a averiguar serem do Sporting, protagonizou vários episódios de violência.

O FC Porto condena todos os géneros de violência e este caso deve ser tratado na esfera das autoridades policiais, as únicas com competência para averiguar o que realmente aconteceu.

Pior é o Sindicato dos Jornalistas cometer o erro primário de relatar factos que não viu, não confirmou e, ainda pior, sem ouvir uma das partes visadas – são regras elementares do jornalismo. Não é verdade que o presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, ou qualquer outro dirigente, tenha tecido “duras críticas à imprensa”, como refere o comunicado do Sindicato dos Jornalistas. Mas mesmo que o tivesse feito, o que nunca aconteceu, o direito à crítica, mais ou menos dura, é uma base da democracia e era só o que mais nos faltava do que um sindicato dos jornalistas a defender um qualquer género de censura. Um destes dias ainda sai um comunicado a condenar o S. Pedro pelo mau tempo quando os jornalistas fazem a cobertura de tempestades"

Tenho de elogiar a resposta e a sua rapidez. Detalhada, factual e assertiva. No entanto, devo insistir estive presente na assembleia-geral e saí pelo mesmo local que todos os outros sócios. Não vi qualquer tipo de desacato ou agressão a quem quer que seja. No entanto, as agressões ao Futebol Clube do Porto vindo da comunicação social não se fica por aqui nem pelo território nacional.

Já hoje foi o “El Confidential” fez uma afirmação que honestamente não esperava. Jorge Nuno Pinto da Costa janta com pessoas já falecidas. Segundo este jornal, que caiu no ridículo com estas afirmações, Jorge Nuno Pinto da Costa está insatisfeito com a prestação de Casillas, apelidando-o de um “absoluto fiasco”, palavras que disse num jantar em casa de José Manuel de Mello. Nem sei o que hei de retirar daqui, com franqueza. Primeiro, o desrespeito à família de José Manuel de Mello, que faleceu em 2009. Segundo, o desrespeito a Jorge Nuno Pinto da Costa, que almoça com pessoas que já faleceram. Recorde-se que a televisão de um certo clube desejou a morte ao Presidente do Futebol Clube do Porto. Terceiro, o atropelo de toda a ética e deontologia associada à profissão de jornalista.

Recorte da notícia original, via "O Tribunal do Dragão"

De toda a forma, o Futebol Clube do Porto foi célere a responder, através do Porto Canal e de fcporto.pt.

“Eu e o senhor Antero Henrique, agora administrador da SAD, já conversámos e chegámos a acordo com o empresário que representa o jogador para, além do próximo ano, prorrogarmos o contrato por mais um ano. A bola está agora do lado dele, o acordo está feito, já lhes dissemos que assinaremos quando quiserem”

Antero Henrique levou um upgrade não só na SAD, mas também no tratamento. Mas, mais importante, Jorge Nuno Pinto da Costa anuncia, em primeira mão, a renovação de Iker Casillas para mais um ano de contrato. Confesso que não seria necessário relevar esta notícia já. No entanto, perante as acusações do El Confidential, este acordo é mais do que oportuno. Veremos se realmente se confirma. O Presidente do Futebol Clube do Porto aproveita a oportunidade e toca na ferida:

“Se querem pôr este ou aquele, deixem o Casillas em paz, porque se na baliza da seleção espanhola estiver o melhor, de certeza que vai ser ele. Se calhar não é cómodo para muita gente em Espanha, para muitos responsáveis pela sua saída do Real Madrid, que o Casillas possa ser o capitão e o titular da baliza da seleção de Espanha e, quiçá, levantar mais uma vez um troféu internacional”

Um aviso aos senhores espanhóis. Não arrastem o Futebol Clube do Porto para a discussão sobre Iker Casillas e a sua convocatória para competir pela selecção espanhol no próximo Europeu. Essa discussão é vossa.

É um Futebol Clube do Porto atento, rápido, crítico e agressivo perante quem nos tentou agredir durante esta semana. Mesmo assim, isto verifica-se apenas na comunicação face a afirmações de jornalistas. Esperemos pela reacção face a outros temas, como a sempre problemática arbitragem.

Atento. Esperançado. Crente. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.


Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário