quinta-feira, 17 de março de 2016

O Economato: André Silva

André Silva é, neste momento, a maior promessa da Equipa B do Futebol Clube do Porto.

O meu Portismo é sempre testado quando existe justificação plausível para revisitar esta rubrica. No entanto, recordo que o Porta 26 é um blog de opinião, criador de debate de ideias e pontos de vista sobre a realidade do Futebol Clube do Porto. Aqui fala-se do clube e do que se passa dentro do clube. De apito, por exemplo, percebo pouco. Faço por deixar uma análise mais profunda desse aspecto sempre polémico e, até certa medida, subjectivo, para outros com mais conhecimento na matéria que não eu. A prioridade é o Futebol, e o que se passa dentro do relvado. Mas o que se passa fora também é elegível. Desta vez, é André Silva e a sua ligação ao Futebol Clube do Porto que merecem reflexão.

André Silva, 20 anos, avançado, internacional sub-2o Português, é produto das escolas do Futebol Clube do Porto, instituição onde é jogador de Futebol desde 2011. Actua maioritariamente pela equipa B do Futebol Clube do Porto, tendo já somado 7 partidas pela equipa A, mas sem qualquer golo. É ainda uma promessa da formação Azul e Branca. Deu nas vistas no Europeu de sub-19 e no Mundial de sub-20, sendo talvez a maior promessa da formação do Futebol Clube do Porto. Destaque para o golaço que rubricou em Oliveira de Azemeis, neste último fim-de-semana.

André Silva marcou o único golo na vitória frente à Oliveirense.

Um ficheiro .xlsx (uma folha de excel, vá…) com informação datada de 31 de Dezembro de 2014 sobre a lista de jogadores do Futebol Clube do Porto e a distribuição dos seus direitos económicos veio a público. Uma lista extensa, é certo, mas onde existem casos que merecem especial atenção. Se, por exemplo, a complexidade do negócio que trouxe Aboubakar para o Futebol Clube do Porto já tinha sido noticiada logo após a sua contratação, existem observações inerentes à situação de André Silva que são de especial relevo.

Recorde-se as dificuldades que existiram para que André Silva renovasse pelo Futebol Clube do Porto, depois de Europeu de Sub-19 onde deu nas vistas e foi aliciado por clubes estrangeiros. Em Novembro de 2014 acaba por rubricar um novo contrato, onde talvez a cláusula de acordo com o agente sobre convencer o jogador a renovar tenha sido especialmente decisiva. O mais questionável são os custos inerentes a essa mesma renovação. Senão vejamos.

O mesmo ficheiro revela que a política do clube em ceder partes dos direitos económicos de jogadores foi cumprida com André Silva, já que o Futebol Clube do Porto apenas detém 90% do passe do jogador. 10% já está nas mãos de Teixeira da Silva (da Pacheco & Teixeira) que beneficiará, nessa percentagem, da mais-valia de uma futura venda. Não se consegue compreender ao certo que entidade é a Pacheco & Teixeira. Noticiou-se, aquando da renovação, que a Promosport teria sido a intermediária do negócio. No entanto, esta não representa o jogador, já que André Silva parece não ter qualquer representante. Assim, não pode ser posta de parte a possibilidade da Promosport ter representado o Futebol Clube do Porto nas negociações. Sim, porque o Futebol Clube do Porto, como instituição fundada em 1983, e com SAD criada em 1997, necessita destes intermediários para chegar a um acordo e convencer um jogador que, aparentemente, nem sequer tem empresário, a renovar contrato. Ao contrário da Promosport, sabe-se pouco sobre a Pacheco & Teixeira. Aliás, a própria entidade faz questão de divulgar pouca informação.


No portfólio da Promosport existem 3 jogadores do Futebol Clube do Porto, bem como algumas caras conhecidas.

É, por isso, mais uma prova da alienação de pedaços de activos do clube cedidos a tudo e todos que negoceiam e aproveitam-se do clube para enriquecer. Neste caso, André Silva tem uma cláusula de rescisão de 25.000.000,00€. Acordando uma transferência por esse valor, a Pacheco & Teixeira teria direito a receber 2.500.000,00€. Valor potencial que, por isso, poderá ir para mãos alheias e não ficará nos cofres do Futebol Clube do Porto.


Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.


Um abraço.

2 comentários:

  1. Esta questão já foi falada. A falta de transparência nos nosso negócios tem sido uma coisa por demais. Outra renovação ridícula foi a do Rúben Neves (que não passou pela equipa B, portanto nem sei se tinha contrato profissional assinado antes da renovação ou não). Está explicado aqui: http://futeboleprognosticos.blogspot.pt/2016/03/disparates-da-sad-em-semana-decisiva.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro C., obrigado pelo seu comentário.

      Em breve, irei novamente pegar nesta matéria. Entretanto, consulte também a edição do Economato sobre a renovação de Ruben Neves.

      Um abraço.

      Eliminar