sexta-feira, 18 de março de 2016

“Falta de memória” – Antevisão: Vitoria FC vs Futebol Clube do Porto (Liga NOS)

Sábado, dia 18, a partir das 20h45. Transmissão SportTV

Amanhã, a partir das 20h45, o Futebol Clube do Porto defronta o Vitória de Setúbal no Estádio do Bonfim. É mais um jogo complicado fora do Estádio do Dragão, e onde só os três pontos interessam, se ainda é objectivo continuar a pressionar os adversários da capital à frente na tabela classificativa. Silvestre Varela continua a fazer treino condicionado, e por isso não viaja com a equipa. André André, Marcano e Evandro continuam lesionados, onde esta semana se juntou Alberto Bueno, operado ao joelho esquerdo.

Aposto no seguinte onze:

Powered by lineupbuilder.com

Indi, recuperado, deve juntar-se a Chidozie no centro da defesa, libertando Layún para o lado esquerdo da defesa. Danilo Pereira, de regresso, deverá fazer par com Sérgio Oliveira, quer merece nova oportunidade depois da sua boa prestação na última partida. Os regressos de Indi e Danilo serão fundamentais na tentativa de conseguir uma maior segurança no processo defensivo do Futebol Clube do Porto. As dificuldades registadas em Belém e frente ao U. Madeira demonstram que as constantes baixas e modificações no quarteto defensivo sobrepõem-se à capacidade de adaptação do plantel, pese embora José Peseiro tenha tido direito à semana toda para preparar a partida. Foi por aí também que o Futebol Clube do Porto claudicou em Braga e deitou por terra qualquer possibilidade de lutar pelo título nacional. Mesmo assim, pelo brio e pelos adeptos que se deslocarão a Setúbal, é fundamental conseguir uma boa prestação frente a uma equipa que, embora confortável na tabela classificativa, ainda não está livre de uma surpresa desagradável na luta pela permanência. Por isso precisa de pontos. Por outras razões, nós também. Suk conhece bem o adversário e, neste embate fora de casa, deve ser titular, pese embora Aboubakar tenha facturado na partida anterior.

Duas notas rápidas sobre o Nosso Grande Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa e a sua memória. Primeiro porque Vítor Serpa, director do jornal A Bola escreve, no seu próprio jornal, que recebeu um convite do Presidente do Futebol Clube do Porto para estar na gala dos Dragões de D’Ouro, e que esteve presente. Se poderia ser uma situação de “palavra contra palavra”, Pedro Marques Lopes, reconhecido Portista e que escreve nesse mesmo jornal, confirma que Vítor Serpa esteve presente, e que conversaram com Jorge Nuno Pinto da Costa nessa mesma cerimónia, algo que o Presidente do Futebol Clube do Porto negou à frente dos sócios presentes na última assembleia-geral. Recordo-me bem do que o Presidente do Futebol Clube do Porto disse acerca desta matéria. Ou é falta de memória, ou alguém mentiu, e pode ter sido à frente dos sócios. Se não reconheço qualquer credibilidade a Vítor Serpa, não posso dizer o mesmo sobre Pedro Marques Lopes, pessoa que respeito.

Notícia do jornal A Bola.

Por falar em falta de memória, repare-se que Jorge Nuno Pinto da Costa disse, em 2011, que sairia passados 5 anos, em 2016, da Presidência do Futebol Clube do Porto. Recordo-me perfeitamente da incerteza que se gerava à volta da sucessão já nessa altura. Hoje não tenho a mesma postura. No entanto, o Jornal de Notícias destaca declarações do Presidente do Futebol Clube do Porto, onde reitera que “se tivesse entrado uma candidatura credível, não seria candidato”. Bem, então para isso talvez não fosse necessário uma candidatura e mais quatro anos. Aliás se tinha esse receio, bastaria utilizar uma cláusula da versão anterior aos actuais estatutos recentemente aprovados, que dizia, no seu artigo 89º que «na hipótese de os Presidentes da Direcção, Assembleia Geral e Conselho Fiscal manifestarem até ao dia 20 de Março do final do triénio, das suas disponibilidades para continuarem em exercício de funções e não surgir qualquer candidatura até 15 Abril, haver-se-á o seu mandato prolongado por mais 1 ano.» Isso livraria o Futebol Clube do Porto do acto eleitoral e da obrigação de Jorge Nuno Pinto da Costa estar mais quatro anos à frente do clube, esperando apenas mais um ano a ver se outro candidato se perfilava. Falta de memória, talvez…

E por falar em memória, que tal recordar palavras de Jorge Nuno Pinto da Costa sobre o Estádio do Dragão. Um agradecimento ao Blog “Os Filhos do Dragão” por este vídeo.


"Inegociável é o Dragão". Olhe que não, Presidente... Olhe que não...


Esperançado. Crente. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário