terça-feira, 15 de março de 2016

“Estão-me a dar uma novidade”: O que se pode dizer da Assembleia-geral de 14/03/2016


Pela primeira vez estive presente numa assembleia-geral do Futebol Clube do Porto. Confesso que foi experiência extraordinária. Aliás, estas plataformas de discussão são dos meus locais que mais aprecio. Também por isso criei este blog, dado que nem sempre é possível dar aos sócios do Futebol Clube do Porto a oportunidade de falar. Li, comentei, e aprendi muito antes de criar o meu próprio espaço. E continuarei a aprender. Ontem, fui pela primeira vez e ouvi, em silêncio, e aprendi muito sobre o Futebol Clube do Porto.

De forma específica e detalhada não poderei discutir qualquer assunto. Isso fica para os cerca de 400 sócios que estiveram na Assembleia-Geral. Apenas irei retirar as minhas conclusões, que essas posso dizer porque são minhas.

A sala foi pequena para tanta afluência. Rezam outras histórias que normalmente estão presentes 30 a 40 sócios. E, por isso, não estavam preparados. Por isso eram poucos os regulamentos eleitorais disponíveis para distribuição e o Auditório 3 não foi um espaço suficiente para todos os que decidiram dizer presente.

A discussão sobre o regulamento eleitoral foi mais longa do que eu previa. Era um palpite, apenas. Há sócios claramente interessados em ajudar o clube e dar o seu contributo até nas mais pequenas coisas. Com o seu conhecimento. Com a sua experiência. Com o seu Portismo. Há sócios que desconhecem os estatutos e, por isso, afirmam coisas incorrectas durante as assembleias. Isto inclui o Presidente do Futebol Clube do Porto, pese embora expresse mais a admiração pelo que está escrito do que uma reclamação. Fantástico comunicador, como sempre. O regulamento eleitoral aprovado é, na minha opinião, mais completo e apropriado do que o apresentado inicialmente. Poderia até ter sido melhor caso todas as propostas primeiramente apresentadas chegassem à votação. No entanto, para o próximo acto eleitoral, adequa-se às necessidades do Futebol Clube do Porto e dos seus sócios.

Há sócios que não mostram conhecimento suficiente dos estatutos para falar. Grave, na minha perspectiva. Se um associado aparece numa assembleia-geral com a vontade de falar sobre um documento que é de seu conhecimento, têm de preparar-se convenientemente, sob pena da sua proposta atropelar o que, neste momento, não pode ser alterado. Há quem também manifestamente não se saiba comportar numa assembleia e cumprir com o que está estabelecido. Têm pressa, ânsia de falar. Há tempo e lugar para tudo, caros associados e associadas. E, como foi possível constatar, esse tempo e lugar existiu. 

Os 30 minutos seguintes reservados para outros assuntos não chegaram. Assim que se principiaram, foram vários os sócios que se chegaram à mesa, identificaram-se com o respectivo cartão, e pediram a palavra. E, um a um, tiveram a sua oportunidade. Falou-se de muita coisa. Houve quem falasse do coração, outros quem preferisse trazer um discurso preparado, enquanto que, para outros, uns tópicos em papel bastaram. Tantos foram as intervenções que mais sentiram necessidade de se também expressar. E os sócios falavam, e mais sócios pediam para também intervir. Não especificamente contra ou a favor. Mas principalmente pela vontade que têm de se expressar.

E o Presidente do Futebol Clube do Porto teve toda a liberdade para a responder a tudo. Mas não o fez. Escolheu os assuntos trazidos para discussão e respondeu apenas aos que achou pertinente. E aproveitou para trazer ainda outros, no intuito de criar maior união entre os sócios. Demonstrou a habitual sapiência na comunicação e a ignorância de problemas dentro do clube. Digo ignorância porque não sabia de alguns temas que vieram à tona. Mas algo ficou bem claro. Os sócios do Futebol Clube do Porto não são ingratos, mas cobram. Os sócios do Futebol Clube do Porto não são cegos, mas confiam. Os sócios do Futebol Clube do Porto não são idiotas, mas atentos. Os sócios do Futebol Clube do Porto não são passivos, mas vão ter de aguentar mais.

Há coisas óbvias para todos que, para o Presidente do Futebol Clube do Porto, são uma “novidade”. A sua intervenção de esclarecimento a todos os sócios presentes teve tanto de resposta como desvio à questão. E isto leva-me a uma conclusão em que nunca quis acreditar, mas que começo a fazê-lo. Começo a achar que Jorge Nuno Pinto da Costa é cúmplice do que está a passar dentro do clube e, nomeadamente, dentro da SAD, das sucessivas distribuições de comissões e percentagens de passes a inúmeras entidades e pessoas individuais, onde se incluem familiares da direcção, das colocações específicas dentro do “renovado” Porto Canal. E digo que começo a achar porque o departamento jurídico do Futebol Clube do Porto pode estar a ler. E isto preocupa. A mim e a qualquer Portista. E muito sócios preocupados estiveram na assembleia-geral de ontem. E foram vários os que falaram. E os membros da direcção tiveram de assistir, impávidos e serena, apenas com o Presidente do Futebol Clube do Porto a sair em sua defesa, da direcção e do clube.

Saí do Estádio do Dragão com uma certeza: A assembleia-geral de ontem não alterará em nada o rumo do Futebol Clube do Porto. A actual direcção será reeleita e tudo ficará como está. Todos os alertas relacionados com problemas internos, comunicação ou política desportiva e financeira não passarão desta assembleia-geral e tudo isso ficará como está. Esta assembleia-geral será vista como o equivalente a um floco de neve no meio dos Alpes no inverno. Resta saber se será o floco que provoca a avalanche. A resposta, só daqui a quatro anos meus caros. Entretanto, estarei presente como estou agora: sócio e disponível para o clube. Mas o Futebol Clube do Porto são os seus associados. E esses estão vivos!


Diz-se por aí que houve jornalistas agredidos à saída, nomeadamente uma agressão a um operador de câmara da SportTV. Se é um operador de câmara, é porque tinha uma câmara com ele. Por isso não terá dificuldade em provar o que acusa. À saída, não avistei qualquer problema.

Esperançado. Crente. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

1 comentário: