terça-feira, 8 de março de 2016

“Alguém se sentiu atingido”

Claramente alguém dentro do clube se sentiu atingido pelas declarações de Carlos Abreu Amorim

Em quase 34 anos de Presidência de Jorge Nuno Pinto da Costa, raros são os casos de real contestação da sua liderança à frente do Futebol Clube do Porto. Aliás, de facto, analisando o currículo completo do Presidente do Futebol Clube do Porto, seria complicar tecer qualquer comentário negativo. No entanto, agora, mais do que em alguma ocasião dos 13 mandatos, levantam-se vozes de contestação sobre as decisões que afectam o que se passa no relvado, mas também pelas deliberações fora das quatro linhas.

Comecemos pelos “factos” que nos levam até esta discussão.

Carlos Abreu Amorim decidiu juntar-se às vozes críticas da actual direcção e, através do seu Facebook pessoal, fez a seguinte publicação.

Printscreen do Facebook de Carlos Abreu Amorim
O Futebol Clube do Porto, ou alguém ferido no orgulho dentro do clube, respondeu em comunicado publicado em fcporto.pt.

 
Printscreen do comunicado presente em fcporto.pt

É esta a grande prioridade do Futebol Clube do Porto e do seu departamento jurídico? Processar um adepto que decidiu falar do estado do clube, que, ainda por cima, é claro para os Portistas? Ou será pelo cargo que exerce, e que, curiosamente, é explicitado no comunicado? Não foi certamente o adepto Carlos Abreu Amorim que misturou política com futebol, um pecado mortal, a meu ver. Por outro lado, se por uma arbitragem com lição estudada que Carlos Xistra, só o Dragões Diário levanta voz, já por (mais) um sócio contestar o óbvio, sai um comunicado personalizado e ameaçador com implicações judiciais. 

Fica certamente um aviso para quem alguma vez pensou em aproveitar os 30 minutos da próxima assembleia-geral para sequer questionar a direcção do Futebol Clube do Porto sobre o actual estado de coisas. Estarão todos os sócios de sobreaviso: se ousarem levantar a voz, correm o risco de serem processados. E cuidado com a polícia das redes sociais... TENHAM VERGONHA!!!

Caro Carlos Abreu Amorim, nunca tenha medo de, como adepto do Futebol Clube do Porto, falar do clube e do que se passa lá dentro.

Desmoralizado. Revoltado. Portista.

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.


Um abraço.

2 comentários:

  1. Vou discordar...

    Creio que a direção só poderia reagir desta forma, foram acusados de coisas graves por um deputado da nação (que eu abomino, por sinal).

    Não está em causa se o que o gordo diz é ou não verdade. Está em causa que a direção não pode aceitar ser acusada desta forma sem se defender - caso contrário, estaria simplesmente a anuir às acusações, o que seria intolerável. No dia em que uma direção do meu clube seja acusada de "enriquecimento ilícito e favorecimento" e apenas sorrir em retorno, tudo estará perto do fim. Ainda mais perto.

    Como sabe, sou dos que mais reclamam por candidaturas e alternativas, mas não é por isso que vou embarcar numa cruzada cega contra PdC (e obviamente que não o estou a acusar de o estar a fazer também).

    Abraço portista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Lápis Azul e Branco, obrigado pelo comentário.

      Compreendo o seu ponto de vista, e respeito-o. Por isso, apenas quero esclarecer o meu ponto de vista.

      Carlos Abreu Amorim falou, na minha perspectiva, como adepto do Futebol Clube do Porto. O facto de ocupar o cargo de deputado não o impede de produzir as afirmações que fez, a não ser que seja durante o pleno exercício das suas funções. Como adepto, foi um palpite. Que caiu mal dentro do Futebol Clube do Porto.

      Por outro lado, em nenhum local da publicação se vê escrito o nome do Presidente do Futebol Clube do Porto. E creio que isso é fundamental para a sua análise, ainda que de forma breve.

      Recolhendo uma amostra das reclamações de sócios, adeptos ou simpatizantes do Futebol Clube do Porto, percebemos que a referência a apenas Jorge Nuno Pinto da Costa é feita com pouca frequência. O alvo é, quase sempre, a "direcção". Sempre como o seu todo, e não como o alvo apontado apenas a uma pessoa. Por outro lado, se recolhermos uma amostra de tamanho semelhante, mas que contenha apenas elogios ou palavras de apoio, o nome de Jorge Nuno Pinto da Costa é mencionado com maior frequência. Ainda estou para ver uma palavra de apoio ou elogio a Adelino Caldeira, Fernando Gomes, Reinaldo Teles, que assinam documentos de oficiais de negócios quase tão frequentemente como o Presidente do Futebol Clube do Porto. Ou até ao não-executivo Rui Vieira de Sá. Ou até ao director-geral, e agora administrador, Antero Henrique.

      Já Vitor Baia, que seja de conhecimento público, não terá de justificar em tribunal quais são as facadas nas costas que leva o Presidente do Futebol Clube do Porto. Dois pesos, duas medidas.

      Confesso que a troca de galhardetes que faz imprimir muita folha de jornal não me preocupa. O texto do Dragões Diário também não. Já os custos jurídicos para o fazer calar sim. Especialmente quando andamos a espalhar percentagens de passes por aí. Até para familiares de administradores da SAD. O fair-play financeiro aperta a cada dia que passa e só há um Estádio do Dragão.

      Um abraço.

      Eliminar