sábado, 20 de fevereiro de 2016

"Prioridade" – Antevisão: Futebol Clube do Porto vs Moreirense FC (Liga NOS)


 
Amanhã entra em campo o Futebol Clube do Porto em mais um jogo a contar para o campeonato nacional. A partir das 18h15, no Estádio do Dragão, o Futebol Clube do Porto recebe o Moreirense. Perante as opções de José Peseiro feitas na passada quinta-feira, frente ao Dortmund, creio que é possível afirmar que a prioridade para o Treinador do Futebol Clube do Porto é a luta pelo campeonato, pese embora a desvantagem de seis pontos para o actual líder. Martins Indi é dúvida para José Peseiro, a acrescentar aos problemas defensivos que o Futebol Clube do Porto já padece.
 
Aposto no seguinte onze:

Powered by lineubuilder.com
 
No treino improvisado de sexta-feira, depois da avaria no avião que atrasou o regresso da Alemanha, Marcano apresentou-se e, por isso, parece ser novamente opção para José Peseiro. A ele se deve juntar Chidozie, já que Martins Indi poderá não recuperar a tempo de defrontar o Moreirense no Domingo. Creio que o jovem nigeriano merece nova oportunidade frente ao Moreirense, depois de uma exibição muito positiva na Luz. Quer nas laterais, quer mais à frente, não é possível fazer poupanças. Além das alterações forçadas frente ao Dortmund, José Peseiro decidiu poupar jogadores para esta partida, sublinhando a responsabilidade que o jogo de domingo traz. Não é possível perder mais pontos e pensar que o título ainda é alcançável. Por isso, há que apresentar a melhor equipa em busca pelos três pontos. André André e Corona devem ser regressos, bem como Danilo e Maxi Pereira, que ficaram em Portugal devido a castigo. Assim, José Peseiro conta com elementos menos fatigados para tentar somar três pontos em frente ao seu público, tentando fazer esquecer a derrota de há cerca de duas semanas, frente ao Arouca.
 
 
Nota para as declarações de Maicon, que foi apresentado na sexta-feira no centro de estágio do São Paulo, clube onde está emprestado pelo Futebol Clube do Porto até ao fim do mês de Junho. Transcrevo aqui as suas declarações:
 
“Quando as derrotas acontecem, falam coisas que não são verdadeiras. A imprensa fala o que quer. Vocês não ouviram nenhum médico ou dirigente do FC Porto para saber se realmente houve algum problema.”
 
E continua:
 
“A minha relação com o FC Porto é boa. Sempre fui respeitado lá e ainda sou. Foram sete anos de glórias e títulos no FC Porto. Recebi este convite, algo que não esperava, e era o momento ideal para dar o salto para um grande clube como o São Paulo.”
 
Não só ignora completamente a questão da suposta lesão, como apelida a sua ida para o São Paulo como um passo em frente na carreira. Um abraço, Maicon. Que possas conquistar o respeito dos adeptos no teu novo clube. Espero que não voltes a vestir a camisola do Futebol Clube do Porto e que rapidamente seja encontrada uma solução para a cedência, em definitivo, do teu passe. Ou ao São Paulo, ou a outro clube qualquer. O respeito de que falas ficou ferido de morte frente ao Arouca quando decidiste abandonar o relvado e sucumbiu agora que decidiste falar. Para mim, este assunto está encerrado.
 
Lesão, ou não, para o Futebol Clube do Porto não podes voltar.
 
Vitor Baía não perdeu tempo em reagir a estas declarações, lançando críticas à gestão da SAD. Dessas críticas, destaco a seguinte frase:
 
“O clube não se pode transformar no entreposto que vemos neste momento. Não me agrada ver o FC Porto com jogadores de passagem e com outros objetivos”.
 
Não agrada a ninguém, mas o Futebol de hoje é mesmo assim. Creio que seria possível uma gestão mais cuidada e a manutenção, por mais tempo, de certos jogadores, bem como a formação de um núcleo duro de jogadores dentro do clube. Creio que, a essa estratégia, a escolha de um Treinador capaz de se manter no clube durante longos períodos ajudaria na consolidação de um grupo com qualidade e “ADN” Azul e Branco. No entanto, o modelo de negócio implementado no Futebol Clube do Porto é praticamente o oposto. A compra e venda de jogadores é constante, com muitas renovações de contrato pelo meio, tudo no sentido de gerar maior rendimento para certos “abutres” milionários que rodeiam o clube com o único objectivo de enriquecer. Até que os responsáveis máximos do Futebol Clube do Porto sejam substituídos, continuaremos assim. A 17 de Abril temos a oportunidade de renovar com o modelo actual, ou quebrá-lo, introduzindo uma nova visão para o Futebol Clube do Porto. Sabemos que Vitor Baía não será candidato.
 
Positivista. Crente. Portista.
 
Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.
 
Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário