segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

"Lopetegui, és tu?" – Crónica: Vitória SC 1x0 Futebol Clube do Porto (Liga NOS)

Ficha de jogo em www.fcporto.pt

Evidentemente que os dois jogos anteriores não foram os melhores exemplos. Mas não esperava tão mau.

É o Futebol Clube do Porto que tem a primeira posse de bola, mas a rápida perda proporciona a primeira grande oportunidade do jogo. O cruzamento felizmente não teve o desvio pretendido. Tenta responder o Futebol Clube do Porto, que jogou hoje de “cacau puro”, com Corona a procurar a zona de tiro, mas sem conseguir alvejar a baliza. Num lance aparentemente inofensivo, Casillas dá uma verdadeira fífia, e deixa para Bouba Saré finalizar. Futebol Clube do Porto em desvantagem. Golo sofrido 100% patrocinado pelo guarda-redes espanhol. Equipa da casa fechada, pressionante e cautelosa. Futebol Clube do Porto com dificuldades em armar jogo e sair e colocar a bola no último terço. Brahimi novamente com total liberdade e a procurar zonas interiores, dando o flanco esquerdo a Layun. Corona é quem dá largura no flanco direito. André André tem a primeira situação de golo. O remate à entrada da área parece bater no ferro antes de sair. A repetição mostra que fica um canto por assinalar. Há pressão, há bola, mas não se cria perigo. Sem chama, sem vigor, sem a imprevisibilidade necessária para furar a defesa do adversário. A excepção foi a boa resposta de Danilo Pereira a um canto de Layun já perto do intervalo que obrigou a intervenção de João Miguel. O intervalo chega. Um Futebol Clube do Porto vazio de ideias, a fazer lembrar tempos recentes

Rui Barros não precisou de muito tempo no balneário. Rapidamente deu a sua palestra trouxe os jogadores para o túnel. É novamente a equipa da casa a criar perigo. Já o Futebol Clube do Porto aproxima-se da baliza, mas não cria real perigo para as redes de João Miguel. O último passe não sai. Com o passar da hora, Aboubakar falha a finalização num cruzamento rasteiro de Layun. Mexem as duas equipas. Rui Barros troca Corona por Varela, mantendo a estrutura da equipa. O Português veio mexer com o jogo, mas acerta na figura de João Miguel. Já Brahimi, de primeira, não conseguiu acertar na baliza. O desejo está lá. O jeito é que nem por isso. Rui Barros entrega a André André todo o comando do miolo e troca Herrera por André Silva. Tenta-se o assalto final, mas sem sucesso. Varela, de longe, não acerta na baliza. Sérgio refresca o meio-campo, rendendo André André, já muito esgotado. Pouco Futebol Clube do Porto. Já na compensação, devido a uma mão assinalada pelo árbitro, Aboubakar vê o segundo amarelo, e é expulso. O apito final confirma a segunda derrota no campeonato.


Bola fácil para Casillas. O erro do espanhol decidiu o jogo. Transmissão SportTV


Casillas (1): Um presente dado aos caseiros nos primeiros minutos provocou uma exibição muito nervosa do espanhol, raramente saindo a cruzamentos. Fora o mencionado, foi um mais um espectador do jogo.

Maxi Pereira (5): Entrada na área adversária com frequência e fechando bem o flanco. Incansável tanto a defender como a atacar.

Martins Indi (5): Teve de responder a uma hesitação de Casillas e evitar o segundo golo do Vitória. 

Marcano (5): Foi quem tentou armar jogo atrás e fazer face à pressão alta do adversário.

Layun (4): Teve o flanco praticamente a seu cargo. Acusou dificuldades físicas no primeiro tempo, que foi entretanto recuperando. Procurou servir, mas nunca da melhor forma.

Danilo Pereira (5): Rapidamente pressionado sempre que foi solicitado para sair a jogar. Defensivamente fez mais uma exibição positiva.

Herrera (4): Saiu ao minuto 72, quando foi rendido por André Silva. O mexicano esteve muito apagado e a equipa ressentiu-se.

André André (5): Teve a primeira oportunidade do Futebol Clube do Porto no jogo. Menos interventivo que em outros jogos, teve de assumir o meio-campo no último quarto de hora da partida. O cansaço acumulado levou à substituição.

Corona (4): Exibição menos positiva do mexicano. Foi pelo flanco dele que se procurou mais durante o primeiro.

Brahimi (4): Com Rui Barros procura zonas diferentes no terreno. Hoje tenta ser o criativo da equipa, mas sem sucesso.

Aboubakar (2): Não finaliza, e é expulso no fim do jogo. A principal desilusão. Creio que vai ficar de olhos em bico.

Varela (5): Boa aposta de Rui Barros. Trouxe algo novo ao ataque da equipa. Faltou finalizar com qualidade.

André Silva (3): A evolução do André continua, de forma lenta.

Sérgio Oliveira (-): Entrou já perto do fim do jogo. Ainda teve tempo para receber um cartão.

É um resultado que pode comprometer as aspirações do Futebol Clube do Porto ao título nacional. Jogo marcado pelo presente de Casillas, que dá três pontos ao adversário logo no início do jogo. A partir daí, não houve uma resposta à altura. Não houve uma única oportunidade clara de perigo. Não se apresentou um futebol de qualidade e deixou-se a liderança escapar ainda mais. Um Futebol Clube do Porto com muita influência espanhola. Erros semelhantes aos que se cometiam com o anterior treinador, dentro e fora das quatro linhas. 




Sem um treinador principal há duas semanas, sem garra, sem qualidade, em 3º lugar, a cinco pontos da liderança. Como estás meu Futebol Clube do Porto……



Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço.

3 comentários:

  1. "Sem um treinador principal há duas semanas"... há 18 meses e duas semanas!

    Abraço portista,

    LAeB : Do Porto com Amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Lápis Azul e Branco,

      Obrigado pelo comentário. Tínhamos treinador de nome por 18 meses. Alguém que, com tempo de sobra e (supostamente) ponderação, foi contratado para suceder a Paulo Fonseca (com Luís Castro pelo meio).

      Deu-lhe quase tudo, e não apresentou nada. E nós agimos. Mas ainda não reagimos.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Ssabendo o que sei agora, mais valia não termos reagido. Peseiro? A sério?

      Eliminar