quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

"Dou um frango maior que o teu" – Crónica: FC Famalicão 1x0 Futebol Clube do Porto (Taça da Liga)

Ficha de jogo em www.fcporto.pt

Revolução total no onze. Em comparação com o jogo frente ao Guimarães, apenas se mantém o “cacau puro” do equipamento. Onze totalmente renovado, mas com a mesma estrutura. É Silvestre Varela abre na direita, com André Silva na esquerda, mas na procura de zonas interiores. A pressão apenas em metade do campo dificulta a saída de jogo do Futebol Clube do Porto. Maicon e Lichnovski muito adiantados no campo, sempre com muita bola e a dificuldade habitual de sair a jogar. Meio-campo defensivo só para Helton.

A primeira oportunidade é de Suk, já ao minuto 25. Trabalho de André Silva que deixa para o sul-coreano. José Chastre fecha a baliza. Varela também serviu André Silva, que não conseguiu finalizar. A finalizar o primeiro tempo Suk foi descoberto pela esquerda e pela direita, mas ambos cabeceamentos não saíram enquadrados com a baliza. O intervalo chega com um nulo no marcador. Jogo muito fraco do Futebol Clube do Porto, que tem responsabilidades de fazer mais perante um adversário menos reputado.

A segunda parte não vem trazer novidades positivas. Sem oportunidades de parte a parte, o Famalicão chega ao golo. Livre de Mauro, que não sofre qualquer desvio e deixa Helton muito mal na fotografia. Que "frango" do experiente guarda-redes, que não parece fazer melhor que Casillas. Definitivamente os níveis de concentração estão muito, muito baixos, a começar pelos mais experientes, que, beneficiando desse estatuto, não dão o exemplo. Rui Barros responde trocando Ruben Neves por Corona. O Futebol Clube do Porto passa a ter dois na frente. Francisco Ramos também rende Imbula.

Suk mexe-se mais do que Aboubakar, mas com níveis de finalização semelhantes. Não acerta na baliza. O melhor foi uma resposta a um cruzamento de Victor Garcia. A execução é difícil, mas certeira demais. Acerta na barra. Rui Barros ainda troca André Silva por Ismael Díaz. Já na compensação Corona tenta a individualidade. Dribla vários e oferece a Suk a possibilidade de marca. Fecha novamente José Chastre. O jogo chega ao seu fim.

Breves comentários individuais (que é Taça da Liga):

(+)
Suk: movimentou-se mais do que Aboubakar e teve oportunidades para se estrear a marcar, mas sem sucesso. Pode ter oportunidade frente a um antiga equipa.

Victor Garcia: Muita vontade do venezuelano de cumprir e fazer melhor. Com disponibilidade para atacar, não teve grandes problemas em fechar atrás. Foi talvez o melhor jogador do Futebol Clube do Porto.

(-)
Tudo o resto. Com Helton à cabeça. Grave. Muito grave.


Derrota do Futebol Clube do Porto, segunda na competição, segunda seguida em apenas quatro dias. Jogo muito, muito fraco. Muito pobre. Escasso. Muito parecido com um jogo de pré-época. Pouco entrosamento, pouca dinâmica, escassa imprevisibilidade. Compreensível perante os jogadores que entraram, mas inaceitável perante o seu valor face a um adversário que também poupou alguns dos seus habituais titulares. Recorde-se que a equipa B já tinha visitado este estádio. E ganhou por 4-2.

Rui Barros não teve o fim que certamente esperava. Mexeu muito pouco e apenas no que sabia, mas passou uma mensagem sempre de muita serenidade no banco. Mais Paulo Fonseca que Lopetegui. Avançou na Taça de Portugal e deixou cair a Taça da Liga, onde já estávamos praticamente eliminados. Jogou sempre no reduto adversário.

José Peseiro viu o jogo da bancada, perto de Jorge Nuno Pinto da Costa. Tem três treinos até ao confronto com o Marítimo. Não mais do que Nelo Vingada, que regressa ao comando dos Insulares frente ao Futebol Clube do Porto. Mesmo assim, terá muito trabalho pela frente. Enfrentará o Dragão logo na estreia, com o peso de uma Nação Portista com sede de resultados. Nem o melhor do mundo revoluciona uma equipa em 3 treinos. Haverá que ter alguma paciência. 

De toda a maneira, o Futebol Clube precisa de uma lufada de ar fresco. Dentro e fora do relvado. Começou pelo treinador. E, na minha perspectiva, começou-se bem. Mas não se pode ficar por aqui. Ainda há muito por fazer.

Mais uma competição para o ar. Estamos ainda em três e a equipa B está em primeiro. Há muito por jogar. Peseiro, é a tua batuta.


O Famalicão tinha acabado de marcar. Sinceramente não percebi a piada.
Veja o golo e a reacção em vídeo AQUI

Nota para a entrevista de Jorge Nuno Pinto da Costa ao Porto Canal, amanhã, quita-feira, a partir das 22h30. Expectante para analisar o tipo de questões que serão colocadas ao Nosso Grande Presidente, que entra numa zona onde sempre se sentiu confortável. Terá muito que explicar. Duvido que tudo seja abordado. Aliás, duvido que a maioria das questões que atormentam qualquer Portista sejam esclarecidas. Expectante, de qualquer forma.

Promova o debate. Comente e deixa a sua opinião.
Um abraço.

Sem comentários:

Enviar um comentário