quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Antevisão: Futebol Clube do Porto vs Rio Ave FC (Primeira Liga): Guerra ou paz?

Imagem presente em layunoficial.com

Contestação ou não, hoje é para ganhar.

Está o dia ideal para se conhecer um Portista. Mau tempo, contestação dos adeptos, jogo difícil no Dragão, a meio da semana. Hoje será possível ver onde está cada um. Se prefere focar-se no impulso e pedir o despedimento do actual treinador, com substituição imediata (sabe-se lá por quem), se prefere enviar uma mensagem de apoio para a equipa que entrar em campo para representar o nosso emblema, ou se prefere ficar no sofá e conectado às redes sociais. Portista que é Portista não segue outros de forma cega. Tem a sua própria opinião e motivação. Porque todos somos diferentes, mas com um amor ao clube inabalável. É isso que nos move! Na crítica, no elogio, no cântico, no assobio: um amor enorme pelo Futebol Clube do Porto e sempre pela protecção do seu maior interesse!

Aposto no seguinte onze:

Powered by lineupbuilder.com

Julgo que não existem grandes possibilidades para alterações e que o treinador deverá apostar nos jogadores que podem trazer mais garantias. Certo é que poderia promover mudanças. Mas a urgência em arrancar três pontos hoje é de tal ordem que duvido que tenha coragem de mexer muito. As condições climatéricas não irão ajudar. Será necessário paciência e perseverança. Não creio que essas condições estejam reunidas em campo nem que esse sentimento surja da bancada. A expectativa é grande para ver o que ocorre. É, para mim, um dia decisivo para o resto da época do Futebol Clube do Porto. Uma nova derrota em casa não deve ser tolerada por ninguém e deve procurar uma mudança imediata no banco. Uma vitória poderá disfarçar os problemas que já temos, e, quem sabe, ir disfarçando de vitória em vitória até ao sucesso. Porque, mesmo com Lopetegui ainda podemos ser campeões!

Parto dentro de momentos para Estádio do Dragão. Também tenho a minha opinião e não deixarei de a expressar. Confesso que não sei assobiar, mas existem outras formas de contestar, se for essa a minha postura no Estádio do Dragão.

Entretanto, existem outros assuntos que também merecem reflexão. Em primeiro lugar, a saída Pablo Osvaldo. Quando chegou, era da opinião que viria para tentar vender camisolas, servir de modelo e aproveitar a boa vida que o Porto pode oferecer a quem tem dinheiro para a aproveitar. Só me esqueci dos churrascos. Não sei se vendeu camisolas, mas fez algumas adeptas chegar à loucura só por aquecer. Assim como outros, já tive a oportunidade de o ver a aquecer, antes e durante o jogo, de muito perto. Pareceu, acima de tudo, uma personagem popular e sorridente. Mas nunca deslumbrou. Marcado, na minha perspectiva, pela má exibição frente ao Varzim, onde desperdiçou diversas situações de golo, nunca se impôs frente a um titular que também deslumbrando. Fica para história termos tido um “Johnny Depp” no plantel. Será sempre bem recebido em todos os espaços de diversão nocturna da Invicta. Um abraço Pablo e boa sorte.

Para o seu lugar deverá ser escolhido Suk, que fará também hoje o seu último jogo com a camisola do Vitória de Setúbal. Correm rumores que o Futebol Clube do Porto ofereceu 1,5 milhões de €uros por 75% do passe. Não conheço o jogador e, até ao momento, apenas li a opinião de Domingos Paciência. Mas só o facto de ter mais golos que o nosso avançado titular é prometedor. Esperemos por novidades durante o dia de amanhã.

Por último, uma menção para uma lenda do Futebol Clube do Porto. Vítor Baia declarou estar “preparadíssimo” para ser útil ao clube, e até assumir a Presidência do Futebol Clube do Porto. Acima de tudo, creio que é fundamental ao Futebol Clube do Porto ponderar a sucessão. Jorge Nuno Pinto da Costa é Presidente do Futebol Clube do Porto desde 1982. Pela liderança tão prolongada, nem sempre é fácil ver-se novos nomes a surgir como capazes de desempenhar funções de tão grande responsabilidade. Apoio a liderança do actual Presidente e espero que se possa recandidatar. A sua posição é para mim incontestável. No entanto, recordo que, desde ontem, estamos um dia mais próximos da saída de Jorge Nuno Pinto da Costa da Presidência do Futebol Clube do Porto. Todos os hipotéticos candidatos sabem que jamais os sócios ponderariam destituí-lo e eleger um novo Presidente. Mas pensar na sucessão não significa crítica à actualidade. É, a meu ver, apenas uma forma de garantir o futuro a longo-prazo do Futebol Clube do Porto. O dia que todos nós não queremos há de chegar. E, por isso, todos devemos nos preparar para isso, incluindo o próprio clube.

Receita para hoje: GANHAR!!!!

Promova o debate. Comente e deixe a sua opinião.

Um abraço e até à próxima.


Sem comentários:

Enviar um comentário