terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O Natal é quando o Porto quiser



Saudações Azuis e Brancas.

Deslumbremos este número: 457.500.000,00 €. Talvez por extenso se consiga compreender a magnitude deste negócio: quatrocentos e cinquenta e sete milhões de €uros.
Um número bem gordo por um “pacote” bem completo, anunciado já na madrugada do dia 27 de dezembro. Devemos reflectir sobre esse pacote:

- “Direitos de Transmissão Televisiva dos jogos disputados pela Equipa Principal de Futebol, na qualidade de visitado, na Primeira Liga, bem como do Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio do Dragão, pelo período de 10 épocas desportivas, com inicio em 01 de Julho de 2018”
         Recorde-se que, ainda em 2011, o Futebol Clube do Porto renovou o contrato com a Olivedesportos por 82,800 milhões para mais quatro temporadas: entre 2013/14 e 2017/18. A partir da época 2018/19, os direitos televisivos dos jogos da Primeira Liga pertencerão à PT. Embora desconheçamos a maioria de detalhes, é provável que o bolo principal deste valor seja para esta rúbrica. Por isso, podemos estar a falar de uma avaliação destes direitos televisivos perto do dobro. É um salto fantástico! Extraordinário! Recorde-se que o Futebol Clube do Porto recebe cerca de 20 milhões por época da Olivedesportos.

- “Direito de Transmissão do Porto Canal, pelo período de 12 épocas e meia, com inicio a 01 de Janeiro de 2016”
          Pela falta de detalhes do negócio, é a rúbrica que mais me preocupa. Confesso que a ambiguidade da frase levou-me, numa primeira fase, a julgar que estes direitos não seriam exclusivos. No entanto, na tentativa de me informar mais sobre todo o negócio, já não tenho essa opinião. Estou certo que todas as outras operadoras de telecomunicações estarão interessadas em distribuir o Porto Canal. Mas é provável que terão de negociar essa distribuição com a PT e não com o Futebol Clube do Porto. Será algo para verificar no próximo dia 1 de Janeiro. No entanto, confesso o meu dilema: não sou cliente MEO, nem desejo ser.

- “Estatuto de Patrocinador Principal do FC Porto, com o direito de colocar publicidade na parte frontal das camisolas da Equipa Principal de Futebol do FC Porto, pelo período de 7 épocas e meia, com inicio a 01 de Janeiro de 2016.”
Montagem de www.fcporto.ws
      Será complicado para mim deixar enormes elogios à MEO, não só pela sua oferta de telecomunicações, mas também pelos seus constantes e maçadores spots publicitários. No entanto, depois de cerca de 6 meses de descanso, e com esperança na chegada de um patrocinador internacional com elevada reputação, regressamos à MEO. Releva, no meu ponto de vista, duas coias fundamentais. Em primeiro lugar, a dificuldade, a meu ver preocupante, que o Futebol Clube do Porto teve em encontrar um patrocinador alternativo. Em segundo lugar, o regresso da PT, que prova o interesse reforçado do novo dono da PT em apostar no desporto, no Futebol, nos clubes Portugueses e, em especial, no Futebol Clube do Porto.

É este o valor do maior negócio da história do futebol Português. É com um grande orgulho e uma enorme satisfação que congratulo Jorge Nuno Pinto da Costa pelo sucesso deste negócio, com um cumprimento especial para o Porto Comercial, cuja sua competência foi certamente decisiva na protecção dos interesses do Futebol Clube do Porto. Felicito também o Nosso Grande Presidente pelo cumprimento do seu 78º aniversário.


Promovam o debate. Comentem e deixem a vossa opinião.
Um abraço e até à próxima.

Sem comentários:

Enviar um comentário